Michelly não ficou com ninguém: ""Sexo casual comigo não acontece""

Michelly não ficou com ninguém: ""Sexo casual comigo não acontece""

Michelly saiu cedo do "Big Brother Brasil", na terceira semana do programa

Michelly saiu cedo do "Big Brother Brasil", na terceira semana do programa, mas deixou suas marcas. O romance turbulento com Diogo, um porre homérico, a polêmica do abuso sexual, as brigas com Maria. Em entrevista ao EGO, a ex-BBB faz revelações sobre as polêmicas vividas no programa e fala da sua vida após o reality show. Capa da "Playboy", ela também conta o que faz para manter o corpinho em dia (54 quilos em 1m60) e por que não pegou ninguém até agora. "Quando o cara começa a avançar o sinal, eu já começo a ficar apavorada. Por isso que sexo casual comigo não acontece." Veja a entrevista:

EGO - Como é a sua rotina de malhação?

Michelly - Antes de tudo vem a alimentação, não como frituras, gorduras e refrigerantes. Nossa, imaginar um óleo dentro de mim não dá. Também malho uma hora do meu dia. Faço musculação, esteira, aulas de body combat ou body jump. Já estou supermagra, quero fazer um trabalho de musculação mais pesado para ficar mais definida.

Você emagreceu três quilos dentro do programa. Por quê?

O programa mexe muito com o emocional, peguei uma alergia, tive tosse, fiquei com a garganta infeccionada. Quando você sai, as pessoas vêm com a maior intimidade, gritando, chorando e você não conhece ninguém. E isso mexeu comigo.

Você gosta desse assédio?

Gosto do assédio porque estou realizando um sonho. Eu já fui famosa fora do país, no Equador e no Peru. Mas sentia como se fosse uma mentira porque as pessoas deviam imaginar que no Brasil eu era famosa também. Mas agora não! Agora eu sou famosa aqui e lá (risos).



O que você fazia no Equador e no Peru?

Eu fui com um grupo que se chamava Axé Bahia. Éramos três mulheres e dois homens e dançávamos no melhor programa do país. Com isso nós ficamos superfamosos e viajamos o país inteiro. Foi aí que o grupo se desfez e me chamaram para ser atriz e trabalhar num programa de comédia que chamava "Vivos e Revueltos". Eu também tive um programa na (emissora) Equavisa que chamava "Jim Dance", que eu ensina ginástica e a dançar. Trabalhei também num outro que chamava "Novelerías" e eu comentava sobre as novelas brasileiras, mexicanas e colombianas.

Por que resolveu parar e voltar para cá?

Foi por motivo pessoal. Eu namorava e meu namorado (Emerson Alves) recebeu uma proposta de ir para a Colômbia e eu fiquei sozinha no Equador. Aí decidi voltar porque não consegueria ficar sozinha.

Você se arrepende de ter voltado do Equador?

Não me arrependo. O destino está escrito. Voltei e tive oportunidade de ir ao "Big Brother".

E agora, o que quer para o futuro?

Vou começar um curso de interpretação para cinema e TV. A televisão brasileira é muito exigente, não se compara. Por isso eu preciso estudar, me preparar. Lá eles abriram a porta para mim porque eu era uma brasileira falando espanhol com sotaque e isso era engraçado. Até considero tudo que eu fiz muito amador.

E você e Diogo, tem alguma chance?

A gente ainda não se viu, não conversou. Não tem chances, mas quero manter uma amizade. Teve uma parte de tudo isso que foi muito legal. Mas ele não me ligou quando saiu, e eu que não vou ligar. Quem saiu foi ele, eu já estava aqui fora. (risos)

E o Cris? Ele era bem seu amigo lá dentro. Você não ficou com vontade ficar com ele, não?

Não posso falar (e cai na risada). Eu me identifiquei com o Cris. Ele é gato, mas não rolou nada.

Você e Maria não se bicavam. E agora, como você vê a Maria dentro do jogo?

O problema da Maria foi pessoal comigo. Ela não foi mulher de assumir (na hora de dar o castigo do monstro). Aqui fora eu vi a história de vida dela e ela está num puta jogo. Esse jeitinho de falar, esse coisa do "mariei", ela não é uma burra desentendida. Ainda estou com raiva, não quero amizade, nem nenhum contato.

Você tomou um porre e deu um show no BBB. Ficou arrependida do que aconteceu?

Fiquei triste e chocada quando vi aquele vídeo porque nunca passei mal aqui fora. Achei muito estranho. Eu não tive um momento de "estou bêbada, preciso parar".



Está solteira?

Estou solteira pela primeira vez. Eu sempre emendo um namoro no outro. Mas agora, como tenho bastante compromisso, está tranquilo sem ter que dar satisfação. Mas quando chego em casa ficar sozinha é muito ruim.

Mas está à procura?

Não deu ainda para paquerar, sair livre, beber um pouquinho a mais, ainda estou me sentindo um pouquinho vigiada. Mas estou superansiosa para encontrar alguém, para beijar na boca.

Desde que você saiu do BBB não ficou com ninguém?

Não, com ninguém. Falaram que isso acontece com quem está na capa da "Playboy" (risos). Os caras chegam só porque você está na capa, querendo abusar de você. Já teve até famoso. Então, vou deixar a revista passar...

E como foi o ensaio para a "Playboy"?

O ensaio foi superdivertido, foi sofrido também. Porque eu tive que usar diversos aparelhos (de ginástica), teve até uma professora russa para me ajudar. Posições em que eu tinha que fazer força, equilíbrio e ainda fazer cara de desejo ao mesmo tempo.

E com o cachê, o que você quer fazer?

Eu tinha comprado um apartamento antes do BBB, me aventurei. Aí agora com o cachê vou fazer uma aplicação e com o rendimento vai dar para pagar as parcelas. Mais para frente eu quero abrir um negócio, talvez uma clínica de estética.

E seu pai viu a revista?

Meu pai está todo orgulhoso. Para mim ele fica meio com pose, mas minha tia me contou que ele chegou no salão dela todo feliz com a minha revista na mão.

Dentro da casa, você disse que você e sua irmã sofreram abuso sexual. Você conversou com ela sobre esse assunto quando saiu?

Conversei. No começo ela até levou um baque. E na verdade as pessoas até confundem abuso com estupro. Acho que deveria servir de alerta, eu tenho fãs que me disseram que já viveram isso e que choraram quando eu contei. Acho que cabe aos pais perguntar mais para os filhos, ficarem alertas.

Você acha que ficou meio paranoica depois do abuso sexual?

Fiquei sim. Por isso que eu não fiquei com ninguém ainda. Fico com um cara, saio para jantar e está tudo bem. Mas quando o cara começa a avançar o sinal, eu já começo a ficar apavorada. Por isso que sexo casual comigo não acontece. Tenho que sair várias vezes até conseguir um clima gostoso para rolar. No "Big Brother" eu não devia ter falado nada daquilo. Mas foi por causa do Diogo, ele me colocava muito na parede. Quando ele vinha me agarrar, eu ficava tensa, dura. Aí fiquei com aquilo guardado, pedia para ele esperar, mas quando fiquei bêbada, ferrou. Mas as pessoas não deram muita importância para isso.

Fonte: Ego, www.ego.com.br