Mulher testa cremes de R$ 3 e R$ 300 em cada metade do rosto por um mês

Mulher testa cremes de R$ 3 e R$ 300 em cada metade do rosto por um mês

O vencedor conseguiu atenuar rugas, deixar a pele mais suave e com menos vermelhidão

A jornalista Claire Cisotti, de 47 anos, sempre usou cremes hidratantes faciais que custavam, no máximo, R$ 15 a unidade. Sua mãe foi quem transmitiu a ela esse hábito ? segundo contam, ela tem 71 anos e sua pele ainda tem uma aparência incrível.

Por causa disso, ela se animou com a possibilidade de fazer uma experiência: testar, por 30 dias, duas marcas diferentes de cremes, sendo que uma custa R$ 3, e a outra, R$ 300. Os cremes escolhidos foram o Nivea da latinha azul e o Crème de la Mer

O creme Nivea da lata azul foi lançado na Alemanha, em 1911, e contém ingredientes comuns como a glicerina. Já o Crème de la Mer foi inventado há meio século pelo físico espacial Max Huber, para curar sua pele danificada após um acidente em um laboratório, quando uma explosão o deixou com queimaduras profundas.

Segundo o fabricante do Crème de la Mer, sua fórmula secreta é feita de uma mistura de algas fermentadas, vitaminas e minerais, e teria o poder de transformar a aparência da pele em um curto espaço de tempo, reduzindo rugas e linhas de expressão



Antes de começar a experiência, Claire se consultou com o dermatologista Nicolas Miedzianowski-Sinclair, do The Cosmetic Imaging Studio, que mostra em 3D a pele de pessoas que pensam em fazer cirurgias e procedimentos cosméticos. O médico também avaliaria a pele da jornalista ao final dos 30 dias do teste.

De acordo com ele, embora as rugas e linhas finas de Claire estejam melhores do que as da maioria das mulheres de sua idade, sua pele estava bastante desidratada. Ele também mencionou a rosácea, que deixa algumas áreas de seu rosto ? especialmente as bochechas ? bastante vermelhas.



Na primeira semana, Claire começou o teste, aplicando o Crème de la Mer do lado direito do rosto, e o creme Nivea do lado esquerdo. Segundo ela, ainda não era possível notar qualquer diferença entre as duas metades, exceto que a parte do creme Nivea parece brilhar um pouco mais.

Na segunda semana, Claire nota o aparecimento de espinhas dolorosas do lado direito do nariz ? o lado do Crème de la Mer. Elas desaparecem na metade da semana, e a jornalista sente que ambas as metades do rosto parecem mais macias e saudáveis.

Chega a terceira semana, e, em um auto-exame na frente do espelho, Claire acha que as rugas do lado esquerdo parecem menos visíveis que as do lado direito. Ela faz uma enquete informal entre colegas de trabalho, pedindo que eles apontem a metade que parece melhor, e todos, sem exceção, escolhem a metade esquerda.

Ao final do experimento, Claire começa a ganhar elogios de pessoas próximas, que perguntam se ela aplicou botox no rosto.



Ao retornar ao médico para ver o resultado, ele novamente escaneia a pele de Claire e é categórico: o creme Nivea se saiu melhor no teste.

Segundo ele, o lado esquerdo ficou muito mais hidratado, menos vermelho, e com as linhas finas perto dos olhos mais atenuadas. Ele inclusive afirma que a pele desta metade do rosto equivale à de alguém cinco anos mais jovem

Fonte: r7