Narcisismo masculino pode causar repulsa

Estudo revela que homens narcisistas causam maior hostilidade do que desejo

As mulheres heterossexuais encaram o narcisismo masculino com peso e hostilidade, segundo os resultados de um estudo da Kent State University, no Estados Unidos, publicado no jornal Sex Roles. Já os homens heterossexuais, mulheres e homens homossexuais têm uma relação mais suave em relação a isso.

O psicólogo Scott Keiller, autor da pesquisa, mostrou que a baixa empatia aos narcisistas, os sentimentos de posse, além das percepções de admiração e privação merecidas podem tornar este homens mais propensos à agressão e à vingança.

De acordo com os pesquisadores, isto é provavelmente provocado pelo potencial feminino em desenvolver sentimentos de gratificação, ou frustração, ao narcisismo masculino. As reações das mulheres são agentes cruciais e até mesmo aparadores nas questões relacionadas ao prazer sexual masculino, poder patriarcal e status.

Fizeram parte do estudo, um total de 104 estudantes do sexo masculino, com idades a partir de 21 anos de uma grande universidade americana. Keiller examinou o grau de narcisismo, as atitudes sexistas em relação às mulheres e os estereótipos femininos tradicionais, as atitudes em relação aos estereótipos masculinos e, as atitudes em relação a homens e mulheres homossexuais.

O estudo de Keiller examina se a hostilidade narcisista é absorvida da mesma forma e intensidade por homens e mulheres homossexuais. Com isso, o pesquisador descobriu que este narcisismo masculino foi fortemente ligado à hostilidade pelas mulheres heterossexuais, muito mais do que aos outros grupos.

O psicólogo afirma que, de fato, o narcisismo masculino foi ligado à atitudes mais favoráveis por mulheres homossexuais e que não teve relação alguma com as atitudes dos homens homossexuais.

"O estudo sugere que o narcisismo de homens heterossexuais é fortemente ligado à atitudes de contrariedade e raiva por mulheres heterossexuais do que por outros grupos. A repulsa vem do fato de os narcisistas quererem manter sentimentos de superioridade e poder sobre as pessoas", diz Keiller.

Ainda de acordo com o autor, estes resultados sugerem que os relacionamentos dos homens narcisistas seriam muito mais patriarcais do que igualitários. "Homens narcisistas estão particularmente interessados em subordinar as mulheres heterossexuais. Os resultados sugerem que a hostilidade narcisista está associado ao potencial deste grupo de fornecer ou reter gratificação em vez da ideologia sobre sua orientação sexual", explica Keiller.

Quando a vaidade é ruim

A vaidade em si não é ruim, na verdade é até necessária, afinal é saudável querer estar bem consigo, e porque não para os olhares alheios também. O problema é quando esta busca pela boa aparência passa dos limites e a valorização da imagem também, interferindo na vida e culminando em frustrações.

Segundo o psicólogo Giuliano Pagotti, da Unifesp, é importante perceber o tempo gasto com atitudes que possam indicar certa compulsão, ou estar atrapalhando atividades comuns como trabalhar, estudar, passear e se divertir. "O problema, muitas vezes, não está na aparência, mas na maneira que a pessoa está se vendo", explica.

A compulsão é uma força que compele alguém a repetir um ato automaticamente, sem deliberação ou planejamento prévio. "É um desejo ou vontade que a pessoa não controla e que quando não realiza se sente muito mal. Não é apenas uma chateação, é um mal-estar contínuo, propagado de acordo com a questão da intensidade", aponta Pagotti.

Fonte: minhavida, www.minhavida.com.br