Riscos de tratamentos para alisar cabelo

Especialista afirma que opções recomendadas não devem ter formaldeído

Apesar de o uso de formaldeído ter sido proibido em concentrações acima de 0,2% pela Anvisa, ainda é comum encontrar mulheres que o usem para a famosa escova progressiva. Os problemas começam quando a concentração ultrapassa o limite permitido, explica o dermatologista Francisco Le Voci.

“Para obter o efeito de alisamento, começa-se a usar concentrações muito altas, e existem efeitos colaterais tanto para o cliente quanto para o profissional”, afirma Le Voci. Entre eles está a reação alérgica – que pode ser local, com vermelhidão e coceira, a queda de cabelo, e as reações respiratórias

Para os profissionais, que entram em contato com o material muitas vezes, as contraindicações de médio e longo prazo incluem alterações no aparelho digestivo e no fígado. Segundo o médico, há outras opções mais seguras que também alteram temporariamente a estrutura do cabelo, garantindo o efeito liso. Portanto, se quiser alisar os fios, invista em produtos à base ácido sórbico, ácido salicílico, aminoácidos da seda e do leite ou ureia.

Fonte: Abril, www.abril.com.br