Tire dúvidas sobre as tão temidas varizes

A maioria dos procedimentos é feita com anestesia local, com exceção dos casos mais complicados e generalizados

A questão estética é o menor dos problemas quando o assunto são varizes. Os vasos podem causar sensação de queimação nas pernas e cãimbras, por exemplo, e, se não forem tratadas, trazem complicações sérias, pois não há cura. Tire suas dúvidas sobre o problema e saiba como preveni-lo e amenizá-lo, segundo o dermatologista Jorge Mariz, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e responsável pela Personal Clinic, no Rio de Janeiro:

1) As varizes são veias dilatadas que se desenvolvem sob a superfície da pele, principalmente nos membros inferiores (pés, pernas e coxas). Não há cura, mas há controle;

2) Os chamados "vasinhos", minúsculas ramificações de coloração avermelhada, são denominados telangectasias e ocorrem devido à presença de capilares (microcirculação) dilatados. Aparecem normalmente nos membros inferiores, mas também em outros locais, como a face. São o tipo mais comum e de mais fácil tratamento. Mas as varizes podem apresentar tamanhos maiores;

3) Entre os fatores que favorecem o aparecimento de varizes estão histórico familiar e idade porque, com o passar os anos, o retorno venoso pode ficar mais comprometido. As mulheres costumam ser as maiores vítimas devido a fatores hormonais da gestação, menstruação e menopausa. Também há relatos que apontam o aumento do risco em pessoas do sexo feminino que fazem terapias de reposição hormonal ou uso de anticoncepcionais;

4) A obesidade contribui para o seu aparecimento. É que o excesso de peso aumenta a pressão sobre as veias e dificulta o retorno venoso. O tabagismo também eleva as chances de varizes, já que as substâncias do cigarro agridem as paredes das veias. Exposição ao calor por tempo prolongado pode provocar dilatação das veias;

5) As varizes começam a aparecer a partir dos 30 anos, mas as microvarizes podem surgir em pessoas bem mais jovens, dependendo de fatores genéticos, hábitos e estilo de vida;

6) Os sintomas são incômodo estético, queimação nas pernas e plantas dos pés, inchaço (principalmente nos tornozelos e pés no fim do dia), sensação de peso nas pernas, cãimbras, coceira;

7) Mudanças de hábitos podem evitar o aparecimento ou surgimento prematuro das varizes e melhorar seu aspecto, no caso das já existentes. Tente se livrar do sedentarismo (exercícios ativam a circulação corporal) e não permaneça por muito tempo sentado ou parado em pé. Evite roupas muito justas, saltos altos, banhos longos e quentes, consumo em excesso de bebida alcoólica, fumo, longas exposições ao sol e automedicação. O uso de meias elásticas melhora o retorno venoso;

8) Quem tem varizes costuma se queixar da sensação de peso nas pernas, porque os líquidos não são eliminados corretamente e se acumulam nas extremidades inferiores, produzindo formigamento, inchaço, cansaço e a tal sensação de peso. Para atenuar o problema, esqueça o sal, beba no mínimo dois litros de água por dia e faça caminhadas diárias. Recomenda-se ainda permanecer com as pernas para cima por cerca de dez minutos;

9) Se o problema não for tratado, pode levar a complicações. Entre elas estão escurecimento da pele, flebite (inflamação da veia), trombose, hemorragia, úlceras (feridas);

10) Os tratamentos para as telangectasias são laser e luz pulsada (que pode ser associada à radiofrequência). Os pacientes que apresentam retenção de líquidos (inchaço) podem investir na drenagem linfática. Já no caso das veias maiores, a solução é a escleroterapia (aplicação de uma substância por meio de seringa), crioescleroterapia (procedimento semelhante ao anterior, mas com líquido extremamente gelado, o que provoca menos dor durante as sessões) e cirurgia para remoção das veias. A maioria dos procedimentos é feita com anestesia local, com exceção dos casos mais complicados e generalizados, que pedem anestesia tipo peridural ou raqui e internação.

Fonte: Terra, www.terra.com.br