Morre o escritor português José Saramago

Morre o escritor português José Saramago

Nos últimos anos, ele foi hospitalizado em várias oportunidades

O escritor português José Saramago morreu aos 87 anos em sua casa em Lanzarote, nas Ilhas Canárias, nesta sexta-feira (18).

A informação foi passada à agência de notícias EFE pela família do escritor de "Ensaio sobre a cegueira".

O autor de "O evangelho segundo Jesus Cristo" e "Ensaio sobre a cegueira" vivia em Lanzarote desde 1993 com sua esposa, a jornalista Pilar del Río.

Nos últimos anos foi hospitalizado em várias oportunidades, principalmente devido a problemas respiratórios.

Segundo a imprensa espanhola, que cita fontes de sua família, o escritor morreu em sua residência depois de ter passado uma noite tranquila.

Expoente da literatura mundial

O escritor português era um dos maiores nomes da literatura contemporânea e vencedor de um prêmio Nobel de Literatura no ano de 1998 e de um prêmio Camões - a mais importante condecoração da língua portuguesa.

O autor era tido como o criador de um dos universos literários mais pessoais e sólidos do século XX e uniu a atividade de escritor com a de homem crítico da sociedade, denunciando injustiças e se pronunciando sobre conflitos políticos de sua época.

Entre seus livros mais conhecidos estão "O evangelho segundo Jesus Cristo", "A balsa de pedra" e "A viagem do elefante". O mais recente romance publicado pelo escritor foi "Caim", de 2009.

"Ensaio sobre a cegueira" foi levado às telas em um produção hollywoodiana filmada pelo cineasta brasileiro Fernando Meirelles (de "Cidade de Deus") em 2008.

No mesmo ano, uma exposição sobre o trabalho de Saramago foi exibida no Brasil. "José Saramago: a consistência dos sonhos" trazia cerca de 500 documentos originais e outros tantos digitalizados, reunidos em um formato que, misturando o tradicional e a tecnologia moderna, levavam o visitante a uma agradável e rara viagem pela vida e pela obra do escritor português.

Veja, abaixo, uma lista de romances escritos por Saramago

"Terra do pecado", de 1947

"Manual de pintura e caligrafia", de 1977

"Levantado do chão", de 1980

"Memorial do convento", de 1982

"O ano da morte de Ricardo Reis", de 1984

"A jangada de pedra", de 1986

"História do cerco de Lisboa", de 1989

"O Evangelho segundo Jesus Cristo", de 1991

"Ensaio sobre a cegueira", de 1995

"Todos os nomes", de 1997

"A caverna", de 2000

"O homem duplicado", de 2002

"Ensaio sobre a lucidez", de 2004

"As intermitências da morte", de 2005

"A viagem do elefante", de 2008

"Caim", de 2009

Fonte: G1 e Folha