Menino de 4 anos é obrigado pelos pais a correr "nu" pela neve

Ho Yide, 4, foi deixado na rua pelos próprios pais, que alegam que a atitute era uma medida educativa


Chinês deixa filho de 4 anos no frio, em Nova York, como medida educativa

Um vídeo e fotos divulgados nesta semana mostrando um garoto chinês usando apenas cueca em um rua coberta de neve, em Nova York, voltaram a chamar atenção para a rigidez com que os pais chineses criam seus filhos.

Ho Yide, 4, foi deixado na rua pelos próprios pais, que alegam que a atitute era uma medida educativa.

A data das fotos não foi revelada, mas elas foram tiradas pelo pai do garoto, He Liesheng. Além delas, um vídeo, aparentemente feito por Liesheng, mostra o garoto correndo na neve e tremendo de frio. Em um momento, ele chega a pedir um abraço do pai. Não foi confirmado se o pai de Ho Yide postou o vídeo na internet.

Ao justificar sua atitude, He Liesheng disse que seu filho nasceu prematuro e os médicos disseram que ele poderia ter dificuldades durante seu crescimento e não apresentaria o mesmo desempenho que outras crianças. Por isso, ele teria criado um "programa" para ajuda a acelear o desenvolvimento físico e mental do filho.

Segundo o jornal britânico Daily Mail, Liesheng seria empresário na cidade chinesa de Nanjing e estaria em Nova York com a família para comemorar o Ano-Novo chinês.

A repercussão do vídeo já fez com que muitas pessoas questionassem o bem estar do garoto e coloca em debate a rigidez da educação na China, assunto que já foi tema de um livro que causou polêmica nos Estados Unidos e na Europa.

Em Battle Hymn of the Tiger Mother (Hino de Batalha da Mãe Tigresa, em tradução livre), a professora de direito americana Amy Chua, filha de imigrantes chineses, relata a tentativa de criar suas filhas à "moda chinesa", ou seja, com muita rigidez.

O livro destaca as restrições impostas pelos pais aos filhos chineses, como horário de dormir, quais atividades físicas praticar, não assistir TV, entre outros. Para os pais, sem esse tipo de disciplina os filhos não conseguirão entrar em uma boa universidade e conseguir um bom emprego.





Fonte: uol.com