Coveiro revela pedidos bizarros em funerais

Às vezes o último desejo de um pessoa pode complicar a vida dos que ainda não partiram

Poucas coisas são mais tristes do que o funeral de alguém querido. O adeus de um enterro é o último momento ao lado, ao menos do corpo daquela pessoa que admiramos.

No entanto, funerais podem também ser palco de bizarrices. Para conseguir cumprir o último pedido, os coveiros tem de lidar com inúmeros problemas e saias justas.

Foi o que revelou o croata Franjo Jozic, coveiro há mais de 50 anos. Ele conta a história de uma viúva de 84 anos que se recusou a ser enterrada ao lado do marido. Para piorar, a idosa queria que seu papagaio empalhado fosse para dentro do caixão com ela.

Tem também o caso de uma mulher que queria ser enterrada coberta com notas de dinheiro.

Mas o pedido dos que já morreram são mais fáceis de serem executados do que o desejo dos que ainda estão vivos. Não raro, alguns parentes mais malandros fazem um pedido bem pilantra.

- Várias vezes já tive de lidar com algum parente que, após o funeral, pede para que eu abra o caixão e tenta recuperar as joias que foram enterradas com o morto. Claro que eu nunca faço isso.

Jozic conta também o caso de uma mulher que pediu para que o coveiro recuperasse a prótese de bacia que foi enterrada com sua mãe.

- Ela disse que havia pago pela prótese e por isso eu teria de recuperá-la.

Fonte: R7, www.r7.com