Tabaqueiro cubano bate recorde por ter um charuto de 81 metros

A primeira vez foi em 2001, com a elaboração de um charuto de 11,04 metros de comprimento

O tabaqueiro cubano José Castelar, conhecido como "Cueto", recebeu nesta quinta-feira (25) em Havana o certificado do "Livro Guinness dos Recordes" por ter elaborado o charuto mais longo do mundo, com 81,80 metros, informa a imprensa oficial.


Cubano recebe certificado por bater recorde com charuto de 81 metros

A embaixadora do Reino Unido em Cuba, Dianna Melrose, entregou o certificado a "Cueto" numa cerimônia que teve a presença de diretores do setor turístico da ilha e do grupo empresarial Habanos S.A., entre outros convidados.

"A conquista não é só de Cueto, mas também de Cuba e prestigia muito mais seu tabaco, reconhecido mundialmente por sua qualidade, além de contribuir para fomentar as vendas deste produto no exterior e atrair turistas", disse Melrose à "Agência de Informação Nacional".

Em maio passado, Cueto demorou oito dias para confeccionar de forma totalmente artesanal o gigante tabaco, na Feira Internacional de Turismo FITCuba-2011 realizada em Havana.

O charuto foi então colocado ao longo de 12 abóbadas de um pavilhão da fortaleza colonial San Carlos de La Cabaña, onde o tabaqueiro solicitou o recorde do Guinness.

Para torcer o charuto, "Cueto" usou folhas das plantações de Héctor Luis Prieto, vencedor do Prêmio Habano de 2007 como melhor ceifador da folha aromática na província cubana de Pinar del Río, considerada o berço do melhor charuto cultivado no mundo.

Esta é a quinta vez que "Cueto" emplaca no Guinness pela mesma façanha. A primeira vez foi em 2001, com a elaboração de um charuto de 11,04 metros de comprimento. Depois, fez um de 14,86 metros em 2003, um de 20,41 metros em 2005 e um de 45,38 metros em 2009.

O tabaqueiro revela que, para torcer os gigantescos charutos, precisa de boa matéria-prima, um local fechado, concentração, preparação física e até um médico e um massagista. Em sua opinião, o recorde do maior charuto do mundo deve sempre pertencer a Cuba.

Fonte: g1, www.g1.com.br