Declarado morto há 32 anos, homem reaparece nos EUA

Declarado morto há 32 anos, homem reaparece nos EUA

Segundo a Justiça, Jones trabalhava como corretor de commodities em Chicago quando desapareceu

Um americano desaparecido desde 1979, e declarado oficialmente morto em 1986, foi descoberto trabalhando como anotador de apostas em um casino de Las Vegas, segundo autoridades locais.

Arthur Gerald Jones, de 72 anos, passou os últimos 32 sem contato com a mulher e os três filhos, que disseram não saber que ele estava vivo.

Jones foi preso semana passada após uma denúncia de que ele estaria usando documentos falsos.

Segundo a Justiça, Jones trabalhava como corretor de commodities em Chicago quando desapareceu, aos 40 anos, após ter acumulado dívidas de jogo crescentes e passar por turbulências no casamento.

O desaparecimento chegou a ser investigado pelo FBI (a polícia federal americana), que suspeitava de ligações de Jones com o crime organizado e com a máfia.

Porém o caso nunca foi solucionado e Jones foi declarado oficialmente morto em 1986. A família recebeu então US$ 47 mil (cerca de R$ 72 mil) em seguros e benefícios.

Identidade falsa

Jones admitiu aos promotores que deixou Chicago em maio de 1979 e nunca mais fez contatos com as pessoas de seu passado.

Antes de desaparecer, teria comprado uma identidade falsa por US$ 800 (R$ 1.200) e se mudou para a Flórida, onde chegou a ser preso três vezes sob o nome de Richard Lage.

Ele depois passou pela Califórnia antes de se estabelecer definitivamente em 1988 em Las Vegas, desta vez sob a identidade de Joseph Richard Sandelli.

"Estamos juntos há 22 anos e ele sempre foi muito amoroso e respeitoso comigo e com minha família", afirmou ao jornal local Las Vegas Review-Journal a atual namorada de Jones, Patricia Baal.

"Eu o amo. E está tudo bem", disse Baal sobre Jones, a quem conhecia apenas como Sandelli.

Fonte: UOL