Demitidas por sexo em sala, professoras indenização

Demitidas por sexo em sala, professoras indenização

Zelador disse ter visto professoras durante ato sexual. Advogado nega e diz que elas foram demitidas injustamente.

Duas professoras que teriam sido flagradas em ato sexual na sala de aula de uma escola de Nova York, nos EUA, querem uma indenização de US$ 2 milhões por danos morais, segundo reportagem publicada pelo jornal "New York Daily News".

Alini Brito e Cindy Mauro, que teriam tido um suposto encontro amoroso na escola James Madison, alegam que foram demitidas de forma injusta e sofreram injúria e difamação. Segundo o advogado Michael Valentine, as duas nunca tiveram nenhum caso.

O incidente ocorreu em novembro de 2009. Na época, enquanto os estudantes estavam assistindo a um show de talentos no auditório da escola, o zelador Robert Colantuoni disse ter flagrado as duas professoras fazendo sexo.

Fonte: g1, www.g1.com.br