Dona garante direito de decorar teto de bar com sutiãs nos EUA

Dona garante direito de decorar teto de bar com sutiãs nos EUA

Fiscal queria encerrar tradição de 45 anos em boliche de Milwaukee

Um bar e boliche tradicional de Milwaukee, no estado americano do Wisconsin, virou centro de uma polêmica quando uma inspetora municipal afirmou que as dezenas de sutiãs que ficavam pendurados de seu teto, como decoração, eram um fator de risco para incêndio.

Marcy Skowronski, dona do Holler House, disse que ela e algumas de suas amigas começaram a tradição há 45 anos, quando tomaram um porre e jogaram os sutiãs para o alto. Eles ficaram pendurados nas traves do telhado.

Ela decidiu deixá-los lá. Com o passar do ano, dezenas de outros sutiãs de vários tamanhos, cores e modelos foram sendo adicionados pela freguesia. Vários novos foram colocados há cinco anos, no centésimo aniversário do bar.


Dona garante direito de decorar teto de bar com sutiãs nos EUA

Muitos clientes autografam os sutiãs antes de deixá-los lá. Mas a fiscal foi vistoriar o local em abril e não quis saber da tradição, dizendo que havia risco de incêndio e que Marcy precisava retirar os sutiãs, sob risco de o estabelecimento tomar uma multa.

"Eles ficaram pendurados por 45 anos", reclamou Marcy, uma avó de 87 anos, trabalhou no bar durante 59 anos. "Tive fiscalização por 45 anos. Eles nunca disseram nada antes."

Marcy chegou a ir à cidade para apelar da decisão, mas perdeu o prazo.

Seu genro chegou a tirar os sutiãs do teto, por medo de eles receberem uma multa de ao menos US$ 150 ao dia.

Marcy apelou então para um colunista do jornal local, o "Milwaukee Journal Sentinel", e para um vereador, Bob Donovan, na esperança de que a publicidade pudesse ajudar a reverter a decisão.

Donovan fez alguns telefonemas, e o poder público recuou da decisão.

"O bom senso prevaleceu", disse Donovan.

Finalmente, a "volta" dos sutiãs foi comemorada com uma festa nesta sexta-feira (14).

Fonte: G1