Envolvida na pior carta de demissão do mundo nega sexo com chefe

Envolvida na pior carta de demissão do mundo nega sexo com chefe

Funcionário acusa gestor de fazer sexo com colega dentro da empresa.

Envolvida em um e-mail em que um ex-funcionário enviou aos demais colegas, acusando-a de fazer sexo com seu chefe, Greg Shickle, em uma das salas da própria companhia, a canadense Shawna Baudet, de 25 anos, negou que ela e seu chefe tenham mantido relações sexuais.

"Foi apenas um beijo", disse Shawna, em entrevista ao jornal inglês "Daily Mail".

No e-mail furioso, que foi chamado de a "pior carta de demissão do mundo", o funcionário explica para toda a empresa que seu chefe "destruiu sua vida profissional", além de acusá-lo de manter relações sexuais com a funcionária.

A carta (leia aqui), escrita pelo então gerente de contas sênior, Kieran Allen, e direcionada aos colaboradores da MEC Global, vazou na internet e foi compartilhada nas redes sociais. Kieran teria sido persuadido a ficar na empresa por ofertas feitas por seu gestor como "aumento de salário" e "rápido crescimento profissional", porém ele teve sua saúde deteriorada devido ao estresse, ao ponto de ser forçado a se afastar da empresa por duas semanas.

Depois de retornar, Allen afirma que, ?ao invés de me receber e tentar melhorar as coisas, [o gestor] me atacou e me fez sentir como um forasteiro?. O funcionário ainda acusa o chefe de ser preconceituoso com judeus e de fazer piadas a respeito das Paralimpíadas. ?Sou um bom ser humano que trata as pessoas com respeito?, apontou Kieran.

O jornal disse ainda que, após o polêmico e-mail, o chefe enviou uma mensagem aos colaboradores a respeito do ocorrido (e o texto, fatalmente, também vazou), no qual disse que ?é triste que, após o apoio dado a Kieran, ele envie uma mensagem tão pessoal e não profissional a um grupo público? e que está ?ainda mais triste pelos colegas afetados por seus comentários".

Fonte: G1