Gato prevê morte de pacientes e médico o defende

Gato prevê morte de pacientes e médico o defende

Médico escreveu obra para contar mais fatos sobre animal de asilo americano

Um gato ganhou destaque e polêmica após médicos e funcionários de um asilo americano afirmarem que o animal prevê a morte dos pacientes.

Depois de ganhar audiência, o bicho, chamado de Oscar, passou a ser visto como uma espécie de ?anjo da morte? em quatro patas. Tudo porque sempre que ele aparecia em um quarto de um paciente, o mesmo morria no mesmo dia.

Agora, porém, o médico David Dosa, que foi quem espalhou a história de Oscar em um artigo no jornal New England Journal of Medicine, em 2007, disse que não era a sua intenção que o felino ganhasse esta fama negativa.

- Depois do artigo, ficou a sensação de que sempre que o Oscar está em uma cama, o paciente está morto, mas isto não é verdade -, afirmou o médico.

Assim, Dosa resolveu escrever um livro para relatar mais as histórias do gatinho: Making Rounds With Oscar: The Extraordinary Gift of an Ordinary Cat.

- Queria escrever um livro que falasse mais das particularidades de Oscar, para mostrar isto aos familiares e especialistas -, afirmou.

Oscar foi adotado ainda filhote e foi treinado para que ajudasse em terapias em asilos em Rhode Island (EUA), que atendem pessoas com doenças graves e avançadas.

Quando tinha seis meses, a equipe médica percebeu que ele dormia com os pacientes que estavam no leito de morte. Segundo o médico, isto já ocorreu cerca de 50 vezes.

Dosa afirmou ainda que já aconteceu de Oscar se recusar a ficar ao lado de um paciente que já estava com a morte praticamente decretada e foi sentar-se perto de outro, que ainda não corria riscos. Eis que o primeiro a morrer foi justamente aquele que o gato ficou perto.

- Queremos eliminar o mito de que asilos são apenas fábricas horríveis onde as pessoas vão morrer -, completa o médico.

Fonte: R7, www.r7.com