Homem processa médico por ereção de 34 horas

Homem processa médico por ereção de 34 horas

Em 10 de janeiro de 2007, após dez horas de ereção, ele procurou novamente o médico

Lecompte teve uma ereção prolongada, conhecida como priapismo - condição na qual o pênis fica ereto continuamente, sem estimulação-, devido ao efeito colateral da medicação utilizada.

O homem afirmou que o médico não deu importância quando ele contou que vinha tendo ereções prolongadas por causa dos remédios.

Em 10 de janeiro de 2007, após dez horas de ereção, ele procurou novamente o médico. Mas, em vez de encaminhá-lo para emergência, Lecompte disse que o médico lhe deu um sedativo e o mandou para casa, destacando que ele deveria relaxar.

No dia seguinte, após 34 horas de ereção, ele foi levado para o hospital, mas já era tarde demais. Devido à ereção prolongada, Lecompte disse que ficou impotente.

Fonte: g1, www.g1.com.br