Foto de ser misterioso assusta moradores de Acreúna, em Goiás

Foto de ser misterioso assusta moradores de Acreúna, em Goiás

Populares dizem que bicho morreu durante explosão nas obras da BR-060

A foto de um ser esquisito, comparado a um ET, que teria aparecido na região de Acreúna, sul de Goiás, está tirando o sossego dos moradores. Reza a lenda que esse tal ser morreu durante uma explosão nas obras de duplicação da BR-060 e foi levado para análise em Brasília. Alguns moradores contam que dois desses bichos conseguiram escapar vivos e continuam na região.

O que ninguém sabe é explicar de onde veio a foto do misterioso ser. O professor de photoshop Leonardo Melo Moreira, explica que a foto é uma montagem. ?Nota-se que essa é uma figura clássica de um recém-nascido. A parte azul é a mão de um médico segurando o bebê e alguém fez a montagem colocando a cabeça. Isso fica bem claro quando você observa a desproporção que existe entre a mão de quem segura e o braço que aparece na foto. Resumindo: essa criatura não existe, é uma montagem?, declara.

Mesmo com a alegação do especialista, o boato é que a tal criatura foi encontrada às margens de um rio e, por isso, acabou batizada de Nego D´água. ?Foi encontrado lá na ponte do Rio Verdão. Um amigo meu trabalha no hospital municipal e teve um rapaz que sofreu acidente lá na ponte, aí ele [o rapaz] trouxe essa imagem no telefone?, conta o instalador de som Alex de Jesus.

"No porto de Lizarda. Tem dia que você chega e embaixo das canoas tem 30 ou 40 desse jeito aí?, afirma o aposentado Geraldo Antunes Pereira.

"Feio demais ele é, mas não sei que bicho é esse não, Deus me livre. Disseram que encontraram um no Rio Verdão, na duplicação da rodovia?, diz o frentista Lion José Marques.

A história do misterioso ser também ganhou repercussão pela internet. A mesma imagem pode ser encontrada em um site do interior do Mato Grosso. Mesmo sabendo que tudo não passa de uma lenda, tem muita gente que continua assustada com a história.

"Não vou continuar pescando no Rio Verdão. Não fico naquele lugar. Um bicho feio desse aí, não dá para ficar não?, diz um pescador da região.

Fonte: G1