Justiça autoriza advogado que matou mulher a ficar em clínica médica

Gadelha confessou ter estrangulado a artista plástica Hiromi Sato, 57 anos, após uma briga motivada pelo ciúme

O advogado Sérgio Brasil Gadelha, 74 anos, que confessou ter matado a mulher no dia 20 dentro do apartamento em Higienópolis, na região central de São Paulo, foi autorizado pela Justiça a ficar em prisão domiciliar dentro de uma clínica. Ele já estava preso em casa, mas, alegando estar muito abalado, pediu transferência para a clínica.

Gadelha confessou ter estrangulado a artista plástica Hiromi Sato, 57 anos, após uma briga motivada pelo ciúme. A promotora Solange Azevedo Beretta da Silveira pretende recorrer da decisão, para o advogado aguardar o julgamento na prisão. Para a promotora, não há parecer médico que justifique a internação.

Fonte: Terra