Mulher conserva corpo do filho como múmia há 18 anos, na Geórgia; fotos

Segundo a mãe, Tsiuri Kvaratskhelia, a decisão foi tomada para que o neto pudesse ver o pai

Em algumas culturas, não seria estranho que uma mãe cuidasse de seu filho de 40 anos. Mas isso muda ao saber que se trata de um cadáver de quase duas décadas. Depois que Joni Bakaradze morreu, aos 22 anos, sua família, do país euro-asiático da Geórgia, decidiu preservar seu corpo como uma múmia por 18 anos, de acordo com o site Huffington Post.

Segundo a mãe, Tsiuri Kvaratskhelia, a decisão foi tomada para que o neto pudesse ver o pai. Para isso, o corpo de Bakaradze foi mantido dentro de um caixão com uma janela para visualização.

A família alegou que, para conservar o corpo, à princípio, usou métodos tradicionais, incluindo bálsamo-seiva. No entanto, mais recentemente, Kvaratskhelia afirma ter usado outras substâncias:

? Uma vez sonhei que alguém me dizia para usar vodka para cuidar do corpo ? disse a mãe em uma entrevista. ? Tenho vindo a utilizar, desde então, cataplasmas líquidos. Não se deve deixar o corpo sem eles durante a noite porque pode escurecer.

A mumificação é conhecida como uma prática de sepultamento dos antigos egípcios, mas outras culturas têm a praticado ao longo da história.

Em 1920, o corpo de Rosalia Lombardo, uma criança italiana de dois anos, foi conservado pelo seu avô, de luto. Embora tenha começado a mostrar sinais de descoloração recentemente, o corpo da menina permanece notavelmente preservado.


Mulher conserva corpo do filho como múmia há 18 anos, na Geórgia

Mulher conserva corpo do filho como múmia há 18 anos, na Geórgia

Fonte: Extra