Mulher processa Google por mostrar suas calcinhas

Carros do serviço do Google capturaram roupas íntimas

Uma japonesa da cidade de Fukuoka está processando a Google em 600 mil ienes (cerca de R$ 120 mil) por mostrar imagens de suas roupas de baixo penduradas em um varal no serviço Google Street View.

O processo foi iniciado em outubro, mas só veio à tona agora. A mulher - que não quis ser identificada - alegou ao jornal local Mainichi que ver as fotografias "íntimas" na internet lhe causou estresse psicológico e que ficou tão abalada e ansiosa que isso poderia ser marcado como um "crime sexual", conta o site do jornal inglês The Telegraph. Ela disse ao tribunal que também perdeu seu emprego e teve que se mudar, em decorrência de tal exposição.

Segundo o site Gawker, ao que parece, o choque de ver suas intimidades na internet agravou seu já existente transtorno obsessivo-compulsivo, fazendo-a imaginar que tudo o que fazia podia estar sendo gravado, impedindo-a de trabalhar.



O serviço Street View já está famoso por seus inúmeros processos e problemas internacionais diversos, envolvendo crianças sem roupa no jardim, meninas caídas na calçada, gente urinando na rua, e até mesmo o Pentágono, lembra o site do TG Daily.

É importante lembrar que os carros não entram na casa de ninguém, ou seja, tudo que está sendo fotografado é passível de ser visto na rua. De toda forma, a Google já havia retirado as imagens "ofensivas" em outubro, data em que a reclamante entrou com um processo contra a empresa na justiça japonesa.

Fonte: Terra, www.terra.com.br