Organização sem fins lucrativos paga 35 mil reais por ano a quem doar fezes

As fezes doadas serão usadas para tratar pacientes com infecções causadas pela bactéria Clostridium difficile, que causa graves problemas gastrointestinais e, muitas vezes, é resistente a antibióticos

Uma organização sem fim lucrativos chamada OpenBiome tem atraído a atenção nos EUA, ao oferecer cerca de 35 mil reais para doadores de cocô. No país é comum as pessoas receberem pagamento por doações de sangue, óvulos e sêmen, por exemplo.

As fezes doadas serão usadas para tratar pacientes com infecções causadas pela bactéria Clostridium difficile, que causa graves problemas gastrointestinais e, muitas vezes, é resistente a antibióticos.

No tratamento, fezes saudáveis são processadas no estômago do paciente, via endoscopia, tubos nasais ou cápsulas. Mas não é fácil encontrar doadores. Para tentar resolver o problema, a organização OpenBiome foi fundada (em 2013) e, desde então, já realizou cerca de 2 mil tratamentos em 185 hospitais americanos.

Como incentivo à doação, a organização paga cerca de 110 reais para cada amostra de fezes saudáveis, com um bônus de 135 reais, caso o doador se apresente por cinco dias consecutivos. Como resultado é possível conseguir cerca de 680 reais por semana.

Para tornar-se doador, no entanto, não é tão simples. A pessoa deve ser extremamente saudável. O procedimento de coleta é semelhante ao realizado para exames, mas o processo de seleção é bem rígido. De mil voluntários que já se apresentaram, somente 4% foram aprovados no questionário médico e na análise do material.

Fonte: Gadoo