Pizza de peperoni faz suicida desistir da morte

Pela primeira vez, todo mundo ficou contente porque a história acabou em pizza

Parecia uma manhã tranquila em uma segunda-feira sem problemas na pequena e pacata cidade de Mount Pleasant, que fica no Estado norte-americano da Carolina do Sul e é uma espécie de equivalente ianque para a nossa estimada Monte Aprazível, cidade do interior paulista (próxima a São José do Rio Preto), que também é conhecida como "Cidade Represa dos Sonhos".

No meio do bololô que se forma na hora do rush, pouco antes das 7h00, um sujeito desligou o motor de seu carro sobre a ponte Ravenel, ligou o pisca alerta como se o veículo estivesse quebrado e ficou em pé sobre a mureta, olhando para as águas do rio Cooper, que passa logo abaixo.

Foi o que bastou para que a polícia registrasse uma dúzia de ligações em seu serviço de emergência, alertando sobre a probabilidade do sujeito estar com ideias erradas a respeito da vida e sobre a possiblilidade dele estar pensando em se matar.

O sujeito usava uma camiseta verde e, de acordo com ligações da população, parecia estar se preparando para pular.

A polícia local logo fechou o acesso à ponte nos dois sentidos e tratou de negociar com o rapaz.

Quando o relógio já marcava 10h00, um dos policiais sugeriu que talvez o rapaz estivesse com fome ou sede e ligou para o gerente de uma pizzaria local, a Andolini.

A.J. Castle, o gerente, ficou sabendo do que se tratava e, embora a pizzaria não tivesse aberto suas portas na hora da ligação, foi até lá e preparou ele mesmo a redonda, com cobertura de peperoni ? e nem cobrou nada!

? Eu percebi que ele estava fazendo uma boa ação e resolvi que ia responder à boa ação dele com uma da minha parte.

Os policiais abriram a pizza sobre o capô de uma viatura e, depois de 15 minutos de pura tensão conseguiram segurar o sujeito e levá-lo para o hospital universitário de Mount Pleasant.

Apesar do trabalho da polícia, quem levou a fama foi a pizzaria. Castle disse que, no fim da tarde, quando a notícia já havia se espalhado por toda a cidade, o movimento na sua pizzaria triplicou. Mesmo assim, ele não acha que tenha feito nada de mais.

? Eu faço pizzas há nove anos e nunca vi nada parecido com isso, mas não vou pedir crédito pelo que aconteceu. Eu só estava fazendo o meu trabalho.

Fonte: r7