Na reta final da gravidez, Wanessa diz que se sente um jaca

Na reta final da gravidez, Wanessa diz que se sente um jaca

Em meio aos cuidados da gravidez, ela tem que dividir seu tempo com o primeiro filho, José Marcos, de dois anos.

Wanessa já não consegue dormir direito. A cantora acaba de entrar no nono mês da sua gravidez, e aguarda João Francisco, seu segundo filho, ansiosamente. "Na fase final não tem jeito, é complicado achar uma boa posição para ficar e você começa a fazer contagem regressiva para o dia do nascimento", afirma tentando se ajeitar cuidadosamento no sofá. Faltam quatro semanas para ela dar à luz, e as contrações já começaram a vir.

Em meio aos cuidados da gravidez, ela tem que dividir seu tempo com o primeiro filho, José Marcos, de dois anos. Como uma mãe precupada, ela o preparou para a chegada do bebê. "Ele já mudou de quarto e sabe que o irmão vai ficar com o seu antigo. Até agora ele não demonstrou ciúmes, mas sim carinho. Ele beija minha barriga e diz para todos que o irmão está na barriga da mamãe", conta. Na entrevista a seguir, Wanessa fala mais sobre os preparativos e do sonho em conseguir dar à luz com um parto normal. Ela ainda dá dicas de moda e beleza para as grávidas que, assim como ela, já se sentiram com a autoestuma baixa durante este período.

Você está no nono mês da gravidez. Como está se sentindo?

WANESSA: . Nesta fase costumo dizer que a gravidez são oito meses e uma eternidade, porque você tem várias limitações físicas e já está pronta. Então, a ansiedade é enorme. Meu marido está menos que eu. Para a mãe é diferente, é no nosso corpo que o bebê está, entende? Então acho que as mulheres ficam mais nervosas que os homens.

Fez alguma preparativo especial para esta reta final?

W.: Eu estou tentando descansar, o que tem sido bem difícil. No final, as coisas mudam radicalmente. De uma semana para a outra parece que a gravidez chegou. Você sente o peso, sabe? Começam as contrações e as dores, é como um ensaio para o parto que está chegando. Por isso, estou evitando algumas coisas, como brincar no chão com o meu filho, pegar ele no colo e ficar muito tempo na mesma posição.

O parto será normal ou você já agendou uma cesariana?

W.: Vou fazer de tudo para que o parto seja normal. É meu sonho. Com o José Marcos, fiquei doze horas em trabalho de parto e não tive dilatação. Por isso, estou um pouco apreensiva. Na primeira gravidez foi muito difícil aceitar a cesárea porque eu estava muito preparada para o parto normal. Eu fiz fisioterapia perineal (preparo dos músculos vaginais para o parto) para deixar tudo pronto. Foi muito frustrante no momento que eu soube que seria cesárea.

Recentemente, aconteceu um caso em que uma mulher foi obrigada pela justiça a fazer uma cesariana, mesmo querendo o parto normal. O que acha disso?

Os médicos estão esquecendo do que é importante nessa hora. Não é o lucro, mas respeitar o nascimento. Eles ganham mais dinheiro com uma cesárea progaramada e é mais difícil para eles o parto normal em termos logísticos. Então, a cesárea facilita no ganho deles e na organização. Se está correndo bem, as pessoas têm que esperar a bolsa estourar e ter contrações. E aí é o momento do parto. Para mim, há uma diferença até em termos espirituais. Ajudar o seu filho a nascer é tão mágico e bonito. Lógico que a cesárea salva milhões de vida e ela é muito importante, mas acho que só deveria acontecer se for extremamente necessário. Fora isso, a recuperação da mulher com o parto normal é também bem melhor. Eu não vou marcar data, quando acontecer eu vou para o hospital.

Você já afirmou que às vezes sente-se com a autoestima baixa durante a gravidez. Que dica daria para quem está na mesma situação?

W.: A gente se sente uma jaca. A barriga em si é linda, mas o quadril cresce, sinto meu rosto diferente e às vezes parece que não sou eu. Você tem que ter paciência porque é uma fase por uma causa linda, que é ter uma vida dentro de você. Escolha uma boa maquiagem que isso se resolve, e use a moda a seu favor.

Quais são as roupas que você indicaria para a mulher grávida?

W.: Eu não uso nenhuma roupa com zíper. As minhas são todas de elástico. O zíper e o botão machucam a barriga. Tecidos soltos, como a seda, são superconfortáveis Na gravidez também fica lindo marcar a barriga. Por isso, evite roupas largas, tentendo escondê-la. O body é uma peça sofisticada e confortável, você pode usá-lo com uma saia solta. Como ele já é justo, evite combinálo com uma peça colada ao corpo. A saia longa, o vestido que marca em baixo do seios e a legging são peças clássicas da grávida.

Você adora salto alto. Qual o modelo mais confortável?

W.: Na gravidez, uso quando for andar pouco, em um jantar por exemplo. Mas você também pode usar uma rasteira ou sapatilha que fica lindo. O salto ideal é aquele que não não te tira do chão. A meia pata e a anabela, por exemplo, são perigosas. Com nove meses seu equilíbrio não é o mesmo e, por isso, este tipo de salto pode te prejudicar.

Para concluir, o que você está sentindo com a chegada do João Francisco?

W.:É muito bom ser mãe. É meu melhor papel hoje na vida e o sentimento mais bonito que eu já senti.

Fonte: marie claire