Nos jornais: Lula mobiliza aliados para acordo por pré-sal

Lula orientou os líderes a conversarem com suas bancadas para auferir a disposição para um acordo

O Globo

Pré-sal: Lula mobiliza aliados para acordo

Conforme prometido pessoalmente ao governador do Rio, Sérgio Cabral, no início da tarde, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva convocou ontem nove senadores de oito partidos da base aliada para uma reunião, na qual pediu equilíbrio e uma saída negociada que evite as perdas impostas aos estados produtores pela chamada emenda Ibsen, que redistribui os royalties do petróleo, inclusive de campos já em produção, e retira do caixa fluminense cerca de R$ 7 bilhões. Lula orientou os líderes a conversarem com suas bancadas para auferir a disposição para um acordo e marcou para a próxima semana novo encontro. Caso não vingue o acordo, ganhou força a estratégia de jogar para depois das eleições a discussão da divisão da renda do petróleo, a partir do desmembramento do projeto que institui o regime de partilha, separando a discussão dos royalties.

CGU vai investigar Nova Iguaçu

A Controladoria Geral da União (CGU) anunciou ontem que vai investigar a veracidade dos dados prestados pela prefeitura de Nova Iguaçu ao censo escolar de 2009. Como O GLOBO revelou domingo, a rede municipal fraudou o censo do Ministério da Educação (MEC), informando que 99,8% dos alunos de ensino fundamental estudavam em horário integral, ano passado. As matrículas em horário integral garantem aumento de até 25%, no ano seguinte, dos repasses do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). A investigação será realizada pela unidade da CGU no Rio.

Vale-combustível será pago também a comissionados

No ano eleitoral, o governo decidiu estender a funcionários comissionados o pagamento de vale-combustível de R$ 17 por dia em caso de uso de veículo particular em serviço. O decreto foi elaborado pelo Ministério do Planejamento, ampliando o ressarcimento que existe desde 1999 a funcionários efetivos. A inclusão dos comissionados na regra de reembolso provocou protestos da oposição. O PPS viu viés eleitoral na medida, que, em tese, pode beneficiar seis mil servidores.

Vannuchi queria cama no gabinete

A Secretaria Especial de Direitos Humanos desistiu ontem de comprar uma cama box que seria instalada no gabinete do ministro Paulo Vannuchi. O negócio foi desfeito depois que a aquisição foi divulgada na imprensa. A homologação da compra, conclusão do processo de licitação, teria se encerrado ontem, quando a secretaria recebeu o resultado da concorrência realizada pelo Ministério da Justiça. O preço da empresa vencedora foi de R$ 479. O pagamento nem chegou a ser feito.

Lula e Dilma inauguram obra sob suspeita

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a ministra Dilma Rousseff, pré-candidata do PT à Presidência, desembarcam hoje em Tocantins para vistoriar e inaugurar duas obras da ferrovia Norte-Sul com indícios de superfaturamento. Eles vão inaugurar o trecho entre Colinas e Guaraí, cuja obra foi concluída em novembro do ano passado e já está operando provisoriamente no escoamento da safra de grãos da região. Antes visitarão as obras do trecho Guaraí/Palmas, na altura de Miracema do Tocantins, nas quais o Tribunal de Contas da União (TCU) identificou indícios de sobrepreço e já mandou reter preventivamente 10% dos repasses mensais à empreiteira.

Pode citar Bolsa Família e PAC?

A Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom) consultou o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para saber se o uso da expressão governo federal e de nomes de programas como o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e o Bolsa Família estarão permitidas em peças e material de publicidade institucional nos três meses que antecedem as eleições deste ano. São sete perguntas, que serão respondidas pelo ministro relator Félix Fisher.

Amigos de Lulinha sob sigilo

O governo federal se recusou a fornecer a lista dos nomes dos amigos de Fábio Luiz Lula da Silva, filho do presidente Lula, que pegaram carona num voo da Força Aérea Brasileira (FAB), em 9 de outubro de 2009. Lulinha, como Fábio é conhecido, também estava no Boeing 737, o Sucatinha, no trecho de São Paulo a Brasília. Em resposta a um pedido de informações do deputado Duarte Nogueira (PSDB-SP), o ministro da Defesa, Nelson Jobim, não enviou a relação, nem quantos eram os passageiros da Presidência da República, como foi tratado o grupo de Fábio. A resposta do ministro listou os nomes da tripulação do avião naquele dia (23 militares) e o do presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, autoridade que usou o Sucatinha na ocasião.

Arruda desiste de tentar voltar ao governo do DF e perde foro privilegiado

Cassado por infidelidade partidária, o ex-governador do Distrito Federal José Roberto Arruda (sem partido, exDEM) desistiu ontem de tentar recuperar o cargo na Justiça. Em carta entregue por seus advogados ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do DF, ele informou que não recorrerá da decisão ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) o que, na prática, acaba com as chances de terminar o mandato. Ele avisou que não voltará à vida pública.

CPI adia depoimentos de Vaccari e promotor

O presidente da CPI das ONGs, senador Heráclito Fortes (DEM-PI), foi obrigado ontem a adiar para depois da Semana Santa os dois depoimentos que estavam marcados para hoje: o do promotor de Justiça de São Paulo José Carlos Blat e o do tesoureiro do PT, João Vaccari Neto. Responsável pelas investigações sobre o suposto desvio de cerca de R$ 100 milhões da Bancoop (Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo), Blat prefere falar na CPI após apresentar as denúncias ao Ministério Público. Vaccari pediu o adiamento de sua convocação para depois do próximo dia 26, alegando que seu advogado, Pedro Dallari, está no exterior.

Serra inaugura placas de obras "à distância"

O pré-candidato do PSDB à Presidência, o governador de São Paulo, José Serra, ontem inaugurou à distância obras às quais não teve tempo de comparecer. Depois de inaugurar a unidade do Centro de Reabilitação Lucy Montoro, no bairro Cidade Universitária, em Campinas investimento de R$ 11 milhões ele descerrou as placas de outras obras (duas estradas municipais), levadas ao local em cavaletes. Hoje, aqui, neste momento, estamos inaugurando três obras. O nosso problema não é obra para inaugurar. Nosso problema é falta de tempo para inaugurar queixou-se o tucano.

Em meio à greve, tucano anuncia pagamento de bônus a professores

Em meio a uma greve de professores, o governador pré-candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, anunciou ontem o pagamento de bônus aos profissionais da educação. O gasto com o benefício será de R$ 655 milhões, 10,9% maior do que no ano passado. Ontem, o evento de anúncio de pagamento do bônus reuniu cerca de 200 profissionais da Secretaria da Educação, que aplaudiram o governador. Muitos dos presentes utilizaram carros oficiais para ir ao Palácio dos Bandeirantes.

Folha de S. Paulo

Lula aconselha turistas a tomar cuidado no Rio

Na abertura do 5º Fórum Urbano Mundial, ontem, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva instou os participantes a visitar o Rio de Janeiro e as obras do Programa de Aceleração do Crescimento, mas pediu que "não se embrenhem" por lugares que não conhecem, referindo-se à violência da cidade. "De vez em quando, vocês leem que morreu alguém no Rio. Obviamente, não negamos que haja violência no Rio. Mas este Estado e esta cidade têm um povo extraordinário, possivelmente o mais alegre e cortês do Brasil. Agora, não se embrenhem por lugares que vocês não conhecem... Transitem como cidadãos normais, que nada vai acontecer a vocês", disse o presidente.

À espera de Aécio, aliados de Serra abrem disputa pela vice

A resistência do governador mineiro, Aécio Neves (PSDB), em aceitar ser vice de José Serra (PSDB) na disputa pela Presidência acirrou a disputa no DEM pela vaga e ameaça produzir um racha no partido, já fragilizado pelo escândalo de corrupção no Distrito Federal. O presidente do DEM, Rodrigo Maia (RJ), reconhece o risco ao defender Aécio para a vaga. "Vamos esperar até maio. Por que iniciar uma disputa se podemos ter Aécio?", justificou.

CNA lança propostas para o próximo presidente

A CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil) vai lançar nesta semana, em São Paulo, uma plataforma de propostas para o campo a ser entregue e debatida com os candidatos a presidente. No documento, estão demandas do setor distribuídas em oito itens: alimento saudável, segurança jurídica, logística, meio ambiente, política agrícola, processo tecnológico, qualificação profissional e responsabilidade social.

As propostas serão apresentadas, na quinta-feira, no seminário "O que esperamos do próximo presidente?". A senadora Kátia Abreu (DEM-TO), presidente da CNA e cotada para ser vice de José Serra (PSDB), fará a apresentação do documento no evento.

Debate do PMDB opõe radicais e pragmáticos

Decidido a apresentar um programa que o credencie a ser cogestor de um eventual governo de Dilma Rousseff (PT), o PMDB não sabe ao certo como produzir tal documento e muito menos o que colocar nele. Na primeira reunião para discutir o texto, realizada na última quinta-feira, em Brasília, a já conhecida federação de interesses pessoais e regionais do partido, unificada pelo pragmatismo, chocou-se com o voluntarismo de convidados especiais. No fim, ninguém falou a mesma língua.

Temer quer que partido governe "junto" com PT

O presidente nacional do PMDB, deputado federal Michel Temer (SP), disse ontem que, caso a ministra Dilma Rousseff (PT) se eleja presidente da República, seu partido "vai governar junto". "Combinei com [o presidente nacional do PT] José Eduardo Dutra e com [o assessor especial da Presidência] Marco Aurélio Garcia, que foram basicamente os produtores do programa do PT, que nós do PMDB faríamos também um plano de governo. Fechada a aliança, nós iríamos fazer a fusão de ambos os programas", disse ele em visita à ABL (Academia Brasileira de Letras).

Aécio reajusta salário de 900 mil servidores a nove dias de deixar o governo

A nove dias de deixar o cargo, o governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), anunciou ontem reajuste salarial de 10% a 15% para todos os servidores ativos e aposentados do Estado -cerca de 900 mil pessoas.

Esse foi o reajuste que envolveu o maior número de servidores ao longo de sete anos e três meses da gestão Aécio, cuja despesa com pessoal está muito próxima do limite prudencial de 46,55% da receita corrente líquida definido pela Lei de Responsabilidade Fiscal. Está em 46,16% -o máximo é 49%. O tucano, que nega a hipótese de ser vice na chapa com José Serra (SP), deve concorrer ao Senado e, pela alta avaliação de seu governo (73% de ótimo ou bom, segundo o Datafolha), tem grandes chances de obter a vaga. Por isso, sua principal tarefa, como ele próprio diz, será fazer do vice Antonio Anastasia (PSDB) o seu sucessor.

Falta tempo para inaugurar obras, diz Serra

O governador de São Paulo e pré-candidato do PSDB à Presidência, José Serra, disse ontem, durante a entrega de um pacote de obras em Campinas (93 km de São Paulo), que "falta tempo" para realizar as inaugurações de seu governo, mas negou que a chegada do período eleitoral influencie sua agenda. "Hoje, aqui neste momento, nós estamos inaugurando três obras. O nosso problema não é falta de obras para inaugurar, é tempo para inaugurar as obras", disse o governador. O problema de Serra não é só esse, mas a corrida contra o tempo para conclusão de obras que pretende deixar inauguradas antes da renúncia, programada para o dia 2 de abril.

Lula e Dilma inauguram obra pronta há meses

O presidente Lula e a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) inauguram hoje, em Guaraí (170 km de Palmas), trecho de 133 km da ferrovia Norte-Sul pronto desde novembro. A assessoria da Valec, empresa pública responsável pela obra e ligada ao Ministério dos Transportes, informou que o evento não ocorreu há mais tempo por problemas de agenda. A obra foi feita pela estatal e é operada pela Vale. O trecho, que liga Tocantins ao Maranhão, serve para escoamento da produção de soja, transporte que vem sendo realizado desde o fim do ano.

Marina decide abrir mão de marqueteiro

A campanha presidencial da senadora Marina Silva (PV-AC) não contará com a figura de um marqueteiro. A decisão é da própria ex-ministra e do comando do partido. A alegação é que a imagem de Marina não precisa ser moldada nem maquiada. Para a equipe da ex-ministra do Meio Ambiente, o forte da campanha eleitoral será, sem moldes, o olho no olho com os eleitores, explorando a origem humilde e a história de vida da candidata.

Polícia liga deputado do PMDB a mensalão do DF

O escândalo do mensalão do DEM chegou ao Congresso e ao maior partido do país, o PMDB. Relatório da Polícia Federal pela primeira vez incluiu um deputado federal no inquérito da Operação Caixa de Pandora: Eunício Oliveira, ex-ministro do governo Lula e hoje o peemedebista mais importante do Ceará. A polícia suspeita que uma empresa de Eunício se beneficiou do esquema que desviou dinheiro público e distribuiu propinas no Distrito Federal -e que levou à prisão do governador agora cassado José Roberto Arruda.

Peemedebista nega ter havido irregularidade

O deputado Eunício Oliveira disse não haver razão para investigá-lo. "Desafio a polícia ou qualquer um a dizer que pedi dinheiro ou que paguei [propina]." Dono de 50% da Manchester, suspeita de ter sido beneficiada no mensalão do DF, ele disse que desde 1998 está afastado do comando da empresa e que tem certeza de que não houve irregularidade na execução do contrato.

Governo: Comissionados terão auxílio combustível

O governo federal decidiu estender para servidores que ocupam cargos por indicação política o pagamento de auxílio combustível. Até hoje, apenas os funcionários concursados podiam requisitar o reembolso. Pela nova regra, publicada ontem no "Diário Oficial da União", servidores que utilizarem o carro em atividades de trabalho poderão pedir restituição de até R$ 374 por mês. São cerca de 6.000 servidores em cargos comissionados no Executivo. O governo também tem uma frota própria, mas alega que não há carros para atender a todos os servidores no país.

Senado: Renan é denunciado por improbidade

O Ministério Público Federal em Brasília ingressou com uma ação naJustiça contra o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) por improbidadeadministrativa. Ele é acusado de usar ilegalmente recursos do Senadopara autopromoção e pode ser obrigado a devolver R$ 20 mil à Casa. AProcuradoria questiona a publicação de três livros pela gráfica doSenado, entre 1999 e 2008, com conteúdo e fotos elogiosas à atuação docongressista. Renan afirmou, via assessoria, que não iria se manifestarsobre o assunto por não ter sido notificado.

O Estado de S. Paulo

Relatório do PAC contraria discurso de Lula no Rio em favor de Dilma

Análise feita pela ONG Contas Abertas sobre os números de execução do Programa de Aceleração do Crescimento indica que só 11,3% das obras foram concluídas desde 2007. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no entanto, voltou a alardear ontem a tese de que seu governo é recordista em investimentos em infraestrutura e saneamento. E de novo atacou os antecessores pela "pequenez" de não fazerem obras de poucos dividendos eleitorais. Lula entrega hoje trecho da Ferrovia Norte-Sul. Na sexta, leva Dilma a Ilhéus para lançamento de edital da Oeste-Leste. Pela segunda vez em 10 dias, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai participar da inauguração de obra suspeita de irregularidade pelo Tribunal de Contas da União (TCU). Lula está hoje em Tocantins para entregar um trecho da Ferrovia Norte-Sul. É a quarta vez que o presidente inaugura ou vistoria obras da linha férrea no Estado. A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, que é pré-candidata do PT à Presidência, acompanhará a visita.

Por ordem do TCU, as obras da ferrovia em Tocantins e Goiás têm retida parte do seu pagamento mensalmente às empreiteiras desde outubro de 2008. Uma auditoria constatou sobrepreço entre outras irregularidades, como preço excessivo de dormentes e pagamento por serviços não realizados, como frete rodoviário para transporte de brita, que estava sendo feito na própria ferrovia no trecho já pronto.

PSDB quer duas mil pessoas na festa de anúncio da candidatura

O PSDB pretende fazer uma festa para duas mil pessoas no dia 10 de abril, em Brasília, para lançar a candidatura presidencial do governador José Serra. Além de reunir lideranças do País, incluindo candidatos a governador que darão palanque ao tucano nos Estados, a direção partidária quer mobilizar representantes da sociedade civil e personalidades das áreas empresarial e cultural. A solenidade será no Centro de Eventos Brasil XXI, que tem capacidade para 1.500 pessoas sentadas.

"Serei o próximo presidente do Brasil", afirma Ciro em seminário

Dizendo não ter pressa para ver oficializada sua pré-candidatura à Presidência, o deputado Ciro Gomes (PSB) criticou duramente o Congresso Nacional e disse já ter ao menos uma certeza: a de que não voltará à Câmara caso seu plano de disputar o Palácio do Planalto na eleição de outubro não se concretize. Após participar ontem à tarde de um seminário com auditores da Receita Federal, Ciro negou que já tenha uma conversa agendada com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva para tratar de seu futuro político. E, ao encerrar uma rápida entrevista, brincou com os jornalistas: "Vou ganhar a eleição. Anotem isso. Vocês estão falando com o próximo presidente do Brasil."

Aécio propõe aumento para 900 mil servidores

Prestes a deixar o cargo para disputar as eleições de outubro, o governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), encaminhou ontem à Assembleia Legislativa projetos de lei que autorizam o reajuste e a concessão de benefícios para os servidores efetivos e inativos de todas as categorias civis do Poder Executivo. O impacto na folha de pagamento será de cerca de R$ 1,1 bilhão em 2010. A proposta prevê reajuste de 10% sobre as tabelas de vencimento básico de 121 carreiras, principalmente servidores das áreas de saúde e educação ? o piso do magistério passa de R$ 850,00 para R$ 935,00.

Câmara fará projeto para eleição indireta no DF

A Câmara Legislativa do Distrito Federal definirá regras da eleição indireta para governador do sucessor de José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM) por projeto de lei. Com isso, o presidente da Casa, deputado Cabo Patrício (PT), diz que não haverá questionamentos sobre o pleito.

O petista explicou que, no Tocantins, onde houve eleição indireta em 2009, a constitucionalidade é questionada no Supremo Tribunal Federal (STF), porque a Assembleia Legislativa regulamentou a eleição por resolução.

Blat diz ao Senado que Bancoop é "organização criminosa"

O promotor de Justiça José Carlos Blat não vai depor na CPI das ONGs. Por meio do ofício, encaminhado ao senador Heráclito Fortes (DEM-PI), presidente da comissão, diz que a Cooperativa Habitacional dos Bancários (Bancoop) se tornou "verdadeira organização criminosa". Segundo Blat, entre 2001 e 2008 a Bancoop recebeu "uma série de recursos dos cooperados, fundos de pensão e empréstimos captados do Sindicato dos Bancários de São Paulo, sendo certo que muitos imóveis nem sequer foram entregues pelo evidente desvio para abastecer o caixa 2 de dirigentes e ex-dirigentes da cooperativa, bem como para fomentar campanhas políticas eleitorais do PT".

Procuradoria acusa Renan de improbidade

O Ministério Público Federal pediu a condenação do senador Renan Calheiros (PMDB-AL) por improbidade administrativa. De acordo com a ação protocolada na Justiça Federal de Brasília, a irregularidade ocorreu por meio da impressão, pela Secretaria de Editorações e Publicações do Senado, de três livros que exaltariam a carreira política de Renan.

"A lesão aos cofres públicos ocorreu quando da publicação dos livros Sem Justiça não há Cidadania, Discussões de Cidadania e Retratos Brasileiros", afirma na ação a procuradora da República Anna Carolina Resende de Azevedo Maia. Na ação, a procuradora citou informações do Senado, segundo as quais teriam sido gastos R$ 7.854 com a publicação de 30 mil exemplares do livro Retratos Brasileiros e R$ 5.207,40 com as 9 mil cópias de Sem Justiça não há Cidadania. "Por valer-se da verba disponibilizada pela Secretaria de Editorações e Publicações do Senado Federal para publicar seus livros, promovendo publicidade pessoal de si próprio e, consequentemente, auferindo vantagem econômica indevida, a ação do requerido Renan Calheiros demonstra a violação dos princípios da impessoalidade e da moralidade", diz a procuradora. Só no livro Discussões de Cidadania, que publica discursos apresentados em 2006 e 2007, existem 123 fotografias de Renan, de acordo com Anna Carolina. Não há informações sobre o custo de publicação dessa obra.

"Constituição não comporta controle da mídia", diz Mendes

O ministro Gilmar Mendes, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), criticou ontem a proposta de criação do Conselho Nacional de Jornalismo, que voltou a ser defendida por setores do governo e pelo PT. Em São Paulo, onde participou de evento na sede do Corinthians - clube que firmou parceria com a Fundação Casa para inclusão social de menores infratores -, o ministro foi taxativo ao falar do conselho. "Não me parece que esse tipo de proposta venha, em princípio, a reforçar a liberdade de imprensa", declarou Mendes. "Vejo sempre com preocupação esse tipo de iniciativa", disse o presidente do STF. Ele mandou um recado ao governo. "Não acredito que haja necessidade desse tipo de conselho."

Correio Braziliense

Arruda cede mandato para tentar liberdade

Preso há 40 dias, José Roberto Arruda desistiu de brigar pelo cargo de governador do Distrito Federal. Em carta encaminhada aos advogados, Arruda renunciou ao direito de recorrer contra a condenação que lhe foi imposta pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-DF) por infidelidade partidária. O prazo para buscar algum tipo de suspensão da decisão apertada, por quatro votos a três, que poderia lhe garantir alguma sobrevida, terminou ontem. A defesa deixou passar.

Entre a toga e a corrida às urnas

Uma resolução do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) que proíbe os membros da instituição de exercer atividades político-partidárias e veta o afastamento deles para ocupação de outros cargos na esfera pública corre o risco de cair hoje, em votação no plenário do colegiado. A norma foi baixada em 2006, como forma de ressaltar emenda constitucional publicada em 2004, mas o conselheiro Cláudio Barros, procurador de Justiça do Rio Grande do Sul, apresentou, no fim do ano passado, proposta para revogar o texto. Primeiro, Barros apresentou um projeto de resolução que pregava a revogação de três dos seis artigos que compõem a norma. Com o corte proposto inicialmente, a proibição a membros do Ministério Público, mesmo afastados, de exercerem atividades em outras esferas do poder público, como no Executivo, por exemplo, sairia do texto.

DEM força a vaga de vice

O DEM se arma para colocar uma faca do pescoço do PSDB na hora de negociar a aliança eleitoral com o governador de São Paulo, José Serra, na corrida pelo Palácio do Planalto. O partido sequer cogita a possibilidade de o acordo não envolver o cargo de vice. Para se precaver e fazer prevalecer a própria vontade e não a dos tucanos, os democratas ameaçam se lançar sozinhos na empreitada e reduzir o tempo de televisão de Serra.

Negociação no Senado

O governo pode desmembrar o projeto de partilha dos royalties do petróleo para evitar que a votação dos demais temas da proposta sofra atraso com a discussão da emenda que redistribui a renda do insumo, prejudicando os estados produtores, especialmente o Rio de Janeiro, que perderia cerca de R$ 7 bilhões por ano. Ontem, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva se reuniu com a bancada governista no Senado e pediu empenho aos senadores para que tentem um para evitar as perdas dos estados produtores. Caso contrário, a votação pode ser adiada para depois das eleições.

Ética na pauta

A proposta que prevê alterações no Conselho de Ética da Câmara, apresentada na semana passada pelo deputado ACM Neto (DEM-BA), pode sofrer ajustes da Mesa Diretora. A sugestão de que seus membros sejam escolhidos somente entre os que compõem a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) foi um dos pontos criticados por parlamentares. O universo fica muito pequeno. A vaga na CCJ já é disputada e os escolhidos ainda vão receber mais esse prêmio?, questiona o deputado Nelson Marquezelli (PTB-SP), quarto-secretário da Mesa, que pediu vista do substitutivo apresentado por ACM Neto. Membro da CCJ, o deputado Flávio Dino (PCdoBMA) avalia que a proposta pode ser uma boa alternativa.

Agrado aos comissionados

A seis meses das eleições, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva baixou um decreto concedendo uma indenização para servidores comissionados que usam o próprio carro em serviço. Cerca de 6 mil titulares de cargos de confiança receberão uma ajuda de R$ 17 diários, ou R$ 374 por mês em 22 dias de trabalho. O custo anual pode ultrapassar os R$ 25 milhões. A oposição batizou o novo benefício de Bolsa Combustível e denunciou o suposto uso eleitoral da medida. Isso é para a companheirada fazer campanha. Desses comissionados, 80% são membros do PT. O Lula quer dar dinheiro para a turma fazer campanha, não tem outro propósito, afirma o líder do PSDB na Câmara, deputado João Almeida (BA).

Fonte: Congresso em Foco