"É uma sina", diz atriz da Globo que vive quarta prostituta na TV

Na televisão,Gabriella Gomes está no ar em "Babilônia" como Monique, uma das garotas de programa agenciadas por Murilo.

Image title

Ela tem um corpo de dar inveja, olhos claros e consegue esbanjar sensualidade. Na televisão,Gabriella Gomes está no ar em "Babilônia" como Monique, uma das garotas de programa agenciadas por Murilo, personagem de Bruno Gagliasso. Longe da personagem, a atriz se mostra muito tranquila até ser provocada, aproveita a amizade com Bruno para incrementar o papel na novela das 21h da Globo e diz não se incomodar por viver a sua quarta prostituta nas telas.

Em 2014, Gabriella fez uma participação na série "O Caçador", também da Globo, como uma garota de programa e, na época, comentou que viver esse tipo de personagem era a sua sina. "É isso mesmo. Passou um ano e continuo falando a mesma coisa. É uma sina", diz a atriz em um papo exclusivo.

Monique veio meio que por acaso. Gabriella fazia um teste para uma série na Globo quando foi vista por um produtor de "Babilônia". Eles já se conheciam de outros trabalhos e ele a convidou para viver a garota de programa de luxo de Murilo. "Foi de uma hora para outra, mas muito bem-vinda", comenta.

Engana-se quem pensa que a atriz tema algum rótulo por viver mais uma garota de programa. "Não me preocupa porque sei que isso não vai ser para sempre. E todos foram papéis muito rápidos, foram cenas pequenas. Talvez tenha uma segunda temporada do "Dias de Rock" [série que Gabriella participou no Canal Brasil] e aí ela vai se aprofundar um pouco mais. Mas até agora não deu para o público se acostumar ou eu ficar taxada", afirma Gabriella.

"Se algum tiver esse preconceito, eu sinto muito. Não é uma coisa que caiba a mim, não está no meu poder. Fui escolhida até agora pelo perfil. Por que colocam tantas prostitutas? Pela coisa do corpo, do sexo, a gente sabe que isso é o que mais vende, infelizmente. Eu preferia que fosse para um outro lado e acaba sendo um desafio para mim isso, ir para outros personagens que não apenas esses", completa.

Pouca roupa

Entretanto, expor-se em cena em papéis mais picantes também não assusta a atriz. "Ainda bem que eu me formei pela CAL (Casa das Artes de Laranjeiras - escola de teatro no Rio de Janeiro) e no primeiro ano todo foi Nelson Rodrigues e Plínio Marcos, ou seja, só prostitutas. 90% deles é nesse universo e eu tive um laboratório intenso disso. Foi bom porque eu não tive barreiras como medo de ficar com pouca roupa ou muitos pudores", lembra.

Para ela, é mais fácil viver esses personagens no teatro do que na televisão. "São papeis com a carga dramática forte. Já tive cenas de ficar nua, de tapa-sexo ou só de calcinha e sutiã e isso não é fácil. No teatro é um pouco mais simples porque você está com aquela galera que conhece, é todo mundo ator, e o público você nem vê muito. No set você vê todo mundo e é um mundo de gente que você mal conhece", compara.

Conversas com garotas de programa

Para viver Monique, Gabriella usou a bagagem dos outros personagens e também tentou sair às ruas e conversar com garotas de programas reais. "Foi difícil conseguir falar, mas conversei com uma daqui do Rio e essa me atendeu numa boa. Ela contou os dramas, dos traumas de infância com os homens da família, que saiu de casa brigada com todo mundo. Foi uma coisa meio de psicóloga", detalha.

A personagem de "Babilônia" também tem inspiração nos cinemas. "Assisti mais de dez vezes ao filme 'Uma linda mulher', com a Julia Roberts. Estou tentando fazer uma personagem mais carismática e com um jeito de moleca que acho que as outras meninas da novela não têm", explica.

Parceria com compadre Bruno Gagliasso

Gabriella aproveita em cena também a proximidade com Bruno Gagliasso. A atriz começou na Globo ao lado de Giovanna Ewbank em "Malhação" e elas são amigas até hoje. Gabriella foi uma das madrinhas no casamento de Giovana e Bruno. A sintonia ajuda na novela.

Fonte: IG