'Império': Depois de 'morrer', Zé Alfredo vai trabalhar como garimpeiro

Ele vai atrás de suas origens em Minas", explica Aguinaldo Silva à revista "Veja"

José Alfredo (Alexandre Nero) não vai ficar escondido durante o tempo em que estiver "morto", não. O Comendador vai recomeçar a vida trabalhando em um garimpo em Minas Gerais. "Ele chega à conclusão de que vive de pedras preciosas mas que, no fim das contas, nunca trabalhou num garimpo – o que era para ter feito lá em 1987. Então, vai ver como é que é. Ele vai atrás de suas origens em Minas", explica Aguinaldo Silva à revista "Veja".

A morte do protagonista de "Império" acontece no dia 22 de dezembro para evitar que o telespectador assista a um funeral na véspera de Natal. Quando se deu conta que isso aconteceria, o autor teve que mexer em mais cenas da novela. "No entusiasmo de 'Vale tudo', eu, Gilberto Braga e Leonor Bassères matamos Odete Roitman (Beatriz Segall)). Na semana antes do Natal, o Dennis Carvalho, que era o diretor, ligou para a gente e disse: 'Sabem quando a Odete morre? Na véspera de Natal'. E morreu, não teve jeito. Agora, estou aqui escrevendo e, de repente, me dou conta de que aconteceria o mesmo. Pensei 'preciso acelerar'. Há toda uma situação em que um dos filhos quer que ele seja cremado. Cristina (Leandra Leal) vai impedir, pois ela sabe que ele não estará morto. Essa situação teve de ser reduzida, senão a parte dele sepultado iria ao ar na véspera de Natal. Com a aceleração, vai acontecer lá pelo dia 22. No Natal, ele já estará no garimpo", contou o autor.

Apesar de estar morto, Zé Alfredo não vai ficar desaparecido por nenhum capítulo. Aguinaldo Silva diz que criou uma passagem de tempo de seis meses justamente para não perder o seu protagonista. O Comendador vai aparecer todo sujo e vivendo de forma rústica, garimpando pedras preciosas. "Ele fica seis meses sumido (apenas) na novela. Como a Du (Josie Pessoa) está grávida (e eu detesto mulher grávida em novela, porque atrapalha a trama) farei o seguinte: uma passagem de tempo de seis meses, e a marcação é ela sentindo as dores do parto. Só que nesta passagem, que dura três ou quatro capítulos, o Comendador não some para o público. Isso foi rigorosamente armado para que ele continue na novela mesmo tendo saído", afirma o autor da história.

Clique e curta Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: EXTRA