'Império': Enrico se ajoelha aos pés do pai e pede perdão 'Fui vítima do meu egoísmo'

Após ver o pai cair ensanguentado em seus braços, Enrico (Joaquim Lopes) pedirá perdão a Claudio (José Mayer) de joelhos e ainda salvará sua vida, em "Império"

Após ver o pai cair ensanguentado em seus braços, Enrico (Joaquim Lopes) pedirá perdão a Claudio (José Mayer) de joelhos e ainda salvará sua vida, em "Império".


O cozinheiro está na dúvida se doa sangue para o pai, então Beatriz (Suzy Rêgo) coloca o filho na parede. "Só o meu sangue não vai salvar a vida do meu pai... Nesses casos são necessários vários doadores", justifica. Beatriz se revolta com a atitude de Enrico. "Será que vou chegar à conclusão, diante da sua inércia, que você não vai mesmo doar o sangue pra salvar a vida do seu pai? É isso, Enrico?", esbraveja. "Não acredito que você tenha saído do meu ventre... Não posso ter parido isso... Um filho que se omite a ponto de deixar morrer o pai... Renegando quem é sangue do seu sangue... Ah, eu não suporto mais... Essa foi a maior decepção que já tive com alguém na minha vida! É o fim! Pra mim, não dá mais...", continua.

Ao refletir sobre o que a mãe acaba de dizer, Enrico muda de ideia e faz Beatriz cair no pranto. "Eu vou com você... Estou disposto a doar sangue pra salvar a vida do pai", afirma. Ele então é preparado pela enfermeira para o procedimento e começa a chorar, emocionado. A transfusão é feita e tudo ocorre como o esperado.

Ao ver o marido acordando, Beatriz pede para o marido não fazer esforço e diz que quermostrar a pessoa que salvou sua vida. O cerimonialista fica na expectativa e, com a vista embaçada, enxerga Enrico atrás da mãe. Os dois choram até que Claudio pede perdão ao filho, mas Enrico o interrompe e se ajoelha. "Eu é que tenho que pedir perdão... Agora, e sempre, mil vezes... Por ter sido tão idiota, mau-caráter, ignorante... Eu tinha medo... Não encontrava em mim a alma aberta pra aceitar você, nem quem é diferente de mim... Fui vítima do meu egoísmo, pai, da minha insegurança... E fiz mal a você e a tanta gente... Mas chegou uma hora em que me senti sofrendo mais do que nunca, mesmo me refugiando neste esconderijo que meu medo criou... E me libertei, pra encarar a vida... Fui pro tudo ou nada, na hora que a mãe me pediu pra doar sangue... E tudo mudou pra melhor. Não foi só o sangue que eu doei pra você, pai... Doei meu amor de filho que eu não sabia mais onde se encontrava dentro de mim... Mas daqui pra frente, tudo vai mudar na relação entre nós, eu prometo. Me aceita como filho, só isso... Porque nunca mais vou te rejeitar como pai". Cláudio chora... e balbucia para o filho. "Meu filho... Eu... te... amo".

 

Fonte: Jornal Extra