'Império': Isis termina com Zé Alfredo: 'Eu não passo de uma vagabunda. Quis te dar o golpe da barriga'

Em 'Império', Isis termina com José Alfredo e o provoca: 'Eu não passo de uma vagabunda. Quis te dar o golpe da barriga'

Isis (Marina Ruy Barbosa) vai mostrar um outro lado seu em “Império”. Depois de dizer a Magnólia (Zezé Polessa) e Severo (Tato Gabus Mendes) que nunca mais vai sustentar os pais, a ninfeta vai dar um chega pra lá em José Alfredo (Alexandre Nero). Tudo porque ele vai acreditar em Magnólia, que conta que Isis engravidou de Lucas (Daniel Rocha). Zé vai ao apartamento da ruiva e ela garante que não ficou grávida e que nunca teve nada com Lucas. "O que que eu fiz? (se volta pra ele, aos prantos) Eu te amei com todas as forças desde o primeiro momento que te vi. Seria capaz de qualquer coisa, de dar até a minha vida por você, pra ficar contigo, e você tem coragem de vir aqui e me acusar, dizer que eu... Eu te traí! E ainda por cima... com teu filho?", diz ela. "Tem uma lógica. Já que eu não posso mais ter filhos, e você me disse que tava grávida, e chegou a receber o João Lucas aqui neste apartamento", fala ele.


Isis, então, percebe que essa fofoca só pode ter sido contada por sua mãe. "Claro, foi ela! Foi ela, não foi? Eu rompi com ela. Proibi ela e meu pai de entrarem aqui, jurei que nunca mais ia dar um centavo pra eles. E ela prometeu, prometeu não, ela jurou que ia me separar de você!", fala. Zé Alfredo diz que ela sabia do segredo da filha e Isis se revolta: "Se você prefere acreditar naquela picareta, não tenho mais nada pra falar!". E a menina começa a tirar as roupas do armário e colocá-las na mala. "Você está se precipitando, Isis, tem mais é que se acalmar pra que a gente decida como é que vai ser daqui pra frente, no futuro", fala. Isis o corta: "Que futuro, José Alfredo? Não tem mais futuro nenhum entre a gente! Acabou!". Ele tenta se aproximar dela e Isis se afasta: "Não chega perto de mim. Já disse que não quero mais olhar pra tua cara".

Zé insiste que ela conte a verdade: "Me diz o que aconteceu entre você e o Lucas, me conta melhor aquela história da gravidez, você nunca quis me dar detalhes, me dizia que tomava pílula, mas se recusou a ir no médico quando desconfiou que tava grávida e foi justamente nessa época que meu filho andava te rondando, o que é que você quer que eu pense?". Ela, então, se acalma e o encara com firmeza: "Quer saber mesmo, José Alfredo? A pura verdade?". Ele faz que sim e ela despeja, fria: "Eu quis te dar um golpe, sim! É isso mesmo o que você tá pensando. Eu não passo de uma vagabunda, uma exploradora, uma periguete, que faz tudo pra se dar bem na vida. Esse tempo todo fingi que te amava, mas não era verdade, eu te traí com vários homens, até com Batista, o porteiro", diz.

O Comendador manda ela parar de gracinha e ela volta a falar: "Nunca falei tão sério na minha vida. Eu quis te dar o golpe da barriga, já tava contigo há um tempão e ia sair dessa relação como entrei, sem nada. Vi no teu filho a chance de me dar bem, até porque, um filho com ele seria parecido com você, ninguém ia levantar suspeita. Mas aí você resolveu me dar este apartamento, e por sorte, eu perdi a criança". Os dois se encaram e ele diz que ela está mentindo. "Tá fazendo isso pra me castigar, me punir", diz. "Entenda como você quiser. E agora que já tá tudo às claras mesmo, eu blefei lá dentro quando disse que não queria mais nada seu. Eu conquistei esse apartamento, fiz por merecer esses anos todos... Ele é meu! E por isso... sai daqui. Vai embora! Rua! Some!", grita ela.

Um tempo nele a encarando, sofrido. Isis sustenta o olhar, sempre fria. "Some... pra nunca mais", fala Isis, baixo, encarando-o, fria. Ele acaba indo embora. Isis fica um instante imóvel, e então deixa escapar um grito de dor doloroso grito e cai de joelhos. E, sem uma lágrima, os olhos fixos no nada, fica ali. José Alfredo caminha pelo corredor do prédio, completamente desatinado. Vai duas vezes até a porta de Isis, com a chave em punho, mas desiste. Ele chama o elevador e aperta várias vezes o botão, impaciente. Enquanto espera, ele bate com a cabeça na parede, atordoado. O elevador chega, a porta se abre, ele entra e vai embora. Enquanto isso, Isis chora dentro de casa.

Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Jornal Extra