Mudanças na trama fazem a novela Babilônia dispararem audiência, registra o Ibope

Mudanças na trama fazem a novela Babilônia dispararem audiência, registra o Ibope

Image title

Quem aderiu ao boicote contra Babilônia tem motivo para lamentar: a novela registrou um significativo crescimento de audiência esta semana.

Na quarta-feira (29), a trama marcou média de 29.4 pontos. Esse índice não era alcançado desde o terceiro capítulo, exibido em 18 de março.

Em sua pior fase de audiência, no começo de abril, o folhetim chegou a amargar apenas 20 pontos. Mudanças emergenciais no rumo dos personagens principais reverteram a crise.

As consequências da divulgação do vídeo de Beatriz (Gloria Pires) beijando seu motorista e amante Cristovão (Val Perré) e a tentativa de assassinato de Inês (Adriana Esteves) tiraram a novela da monotonia.

Babilônia é escrita por 10 roteiristas, sendo três autores principais — Gilberto Braga, Ricardo Linhares e João Ximenes Braga — e sete colaboradores. Nos últimos dias, a equipe ganhou novo membro.

Silvio de Abreu, diretor do Núcleo de Dramaturgia Diária da Globo, cuja missão é supervisionar as novelas, colocou a mão na massa.

O experiente autor transformou 12 capítulos em 6, deixando a narrativa mais dinâmica e antecipando vários acontecimentos. Enquanto isso, a equipe seguiu produzindo novos episódios. A ordem é eliminar barrigas (cenas desimportantes, sem contribuição ao enredo) e investir em revelações e reviravoltas a cada semana.

A reedição dos capítulos fez a audiência subir instantaneamente, mas provocou um efeito colateral perigoso: a perda da frente de gravações.

Geralmente as cenas de uma novela são gravadas de 15 a 20 dias antes de irem ao ar. No caso de Babilônia, essa diferença entre a gravação e a exibição caiu para menos de uma semana nos núcleos de personagens que aparecem mais, como no caso de Alice (Sophie Charlotte) e Murilo (Bruno Gagliasso).

Esse aperto no cronograma faz com que os atores tenham menos tempo para estudar e ensaiar o texto, e pode atrapalhar a qualidade da edição dos capítulos, já que tudo precisa ser finalizado às pressas.

Houve melhora em outro aspecto do novelão da Globo: as cenas estão menos escuras. Antes, mal dava para ver a expressão facial dos atores. Porém, em várias sequências, continua o problema da imagem trepidante, feita com câmera na mão.

O telespectador mais sensível pode se sentir no auge de uma crise de labirintite.

Fonte: Terra