Partido de Merkel aprova medida para abandono da zona do euro

Partido de Merkel aprova medida para abandono da zona do euro

A União Democrata-Cristã (CDU), da chanceler alemã Angela Merkel, aprovou nesta segunda-feira no congresso do partido em Leipzig uma proposta que permite criar mecanismos para que um país possa deixar a zona do euro sem abandonar a União Europeia (UE).

Entre as quase mil autoridades que participam do encontro, só nove votaram contra a medida e 10 se abstiveram. A lei conta com o apoio da chefe do governo alemão.

A proposta possibilita que um país que não se considere em condições de cumprir as regras relacionadas à moeda europeia possa deixar a zona do euro (seguindo as regras do Tratado de Lisboa para sair da União Europeia) sem abandoar a UE.

A medida adotada pela CDU não é tão radical como a apresentada pela União Social-Cristã da Baviera (CSU), que defende a expulsão da zona do euro dos países que não cumprirem suas regras.

Mais cedo nesta segunda, Merkel que "a Europa está em um dos mais difíceis, talvez o mais difícil momento desde a Segunda Guerra Mundial", enquanto os novos líderes de Grécia e Itália corriam para formar governos e limitar os danos da crise de dívida da zona do euro. Ela afirmou temer que o continente fracasse se o euro falhar e prometeu fazer de tudo para impedir que isso aconteça.

Mas no discurso de uma hora feito aos colegas da CDU, Merkel não ofereceu novas ideias para resolver a crise, que obrigou Grécia, Irlanda e Portugal a pedir ajuda externa, gerando preocupação sobre a sobrevivência da união monetária de 17 nações. "Se o euro fracassar, então a Europa fracassa, e nós queremos impedir e nós iremos impedir isso. Isso é no que estamos trabalhando, porque é um projeto histórico".

Bolsas em queda

Apesar das recentes mudanças governamentais na Grécia e Itália para tentar aliviar a crise, os mercados seguem bastante preocupados. Nesta segunda-feira, as principais bolsas europeias fecharam em forte queda, refletindo essa tensão dos mercados em relação aos níveis de risco dos países europeus, principalmente em relação à Itália.

Em Londres, o índice Footsie-100 recuou 0,47%, fechando aos 5.519,04 pontos. O principal índice da Bolsa de Frankfurt, o DAX, perdeu 1,19%, encerrando a 5.985,02 pontos. O CAC 40 da Bolsa de Paris também perdeu 1,28%, a 3.108,95 pontos. O IBEX 35 da Bolsa de Madri foi o mais afetado, com queda de 2,15%, aos 8.372,20 pontos, com a dívida soberana espanhola voltando a trazer preocupações ao mercado. Já o índice FTSE Mib da Bolsa de Milão perdeu 1,99% nesta sessão, aos 15.464,45 pontos.

Fonte: ;o