Pernambuco: confirmada 1ª morte pela superbactéria

A assessoria de imprensa da Agência Nacional de Vigilância Nacional (Anvisa) informou que o órgão não possui dados referentes às mortes.

A Secretaria de Saúde de Pernambuco (SES) confirmou na tarde de terça-feira a primeira morte de paciente infectado pela superbactéria Klebsiella Pneumoniae Carbapenemase (KPC) no Estado. A vítima é uma mulher de 57 anos que estava internada desde o dia 7 de setembro em um hospital particular do Recife.

Os nomes da paciente e da unidade de saúde não foram divulgados. A mulher era portadora da Síndrome de Cushing - uma doença metabólica causada pelo excesso do hormônio cortisol no sangue - além de diabetes e hipertensão crônica.

Segundo os especialistas, não é possível precisar a influência da superbactéria na morte da paciente, já que o estado de saúde dela era extremamente grave. De acordo com o prontuário médico, a causa da morte foi choque séptico.

Às 9h de terça-feira, a SES foi notificada sobre o caso, quando o hospital isolou a bactéria nos exames da paciente. Antes que o tratamento recomendado pudesse surtir efeito, a paciente morreu. A Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária (Apevisa) enviou a 78 hospitais públicos e privados um documento informando sobre a obrigatoriedade da notificação dos casos de KPC, conforme prevê uma norma estadual em casos de doenças que tenham interesse epidemiológico para o Estado. Outros 4 homens e 2 mulheres, portadores da superbactéria, estão internados em hospitais do Recife.

A assessoria de imprensa da Agência Nacional de Vigilância Nacional (Anvisa) informou que o órgão não possui dados referentes às mortes provocadas pela KPC em todo o País e que só contabiliza os casos confirmados de infecção pela superbactéria. De acordo com a assessoria, os dados estão defasados devido a "ruídos de comunicação", já que as secretarias estaduais de vigilância sanitária têm demorado a notificar a Anvisa.

Os dados mais recentes da Anvisa - que não contabilizam os sete casos confirmados em Pernambuco, dois na Bahia e 18 na Paraíba - apontam para 249 casos de infecção pela KPC em todo o País. O Distrito Federal tem o maior número de ocorrências (157), seguido por São Paulo (70), Minas Gerais (12), Goiás (4), Santa Catarina (3) e Espírito Santo (3).

Fonte: Terra