Antonia Fontenelle: Vou adotar um cabeçudo do Nordeste

Antonia Fontenelle: Vou adotar um cabeçudo do Nordeste

Atriz afirma que não pretende engravidar novamente, mas tem a intenção de adotar: "Vou pegar um cabeçudo do Nordeste"

A piauiense Antonia Fontenelle, 39 anos, é produtora, atriz, ganha o próprio dinheiro e cria sozinha o filho, Samuel. Também é do tipo que fala o que pensa. Ou seja, é bem mais do que apenas a mulher do diretor Marcos Paulo, com quem está há cinco anos.

Agora, vai atuar na Rede Record, como a rica Marlene, na novela "Passado Próximo", que estreia em outubro. "Estou muito feliz com o papel e o salário. Não posso ganhar pouco, sou pai e mãe", diz.

No Rio de Janeiro, Antonia recebeu a repórter Ana Paula Bazolli e respondeu, com sinceridade, às perguntas dos leitores do site QUEM. Um exemplo do que diz: "Nunca quis ser rica, mas sempre quis ser notada e respeitada".



1- Você foi elogiada à frente da bateria da Mocidade Independente de Padre Miguel e eleita a "rainha mais gostosa" por uma revista. Pode voltar em 2013?

Abri mão da bateria por causa do filme "Sequestrados", que quero filmar em novembro. Fechei minha loja em Búzios, pois não tinha tempo de desenvolver coleção. Duas escolas me convidaram e tenho vontade de voltar... Amo o Carnaval e, se pudesse, teria uma escola de samba só para mim.

2- Ser casada com Marcos Paulo ajuda ou atrapalha a carreira?

Só atrapalha. As pessoas não me dão trabalho, pois acham que sou rica, Um vez tinha uma capa de noivas para fazer com um cachê de R$ 5 mil e falaram: "Imagina se ela vai topar". E eu aceitei. Preciso que entendam de uma vez por todas que sou trabalhadora. Nunca quis ser rica, mas sempre quis ser notada e respeitada.

3- O que pesou para aceitar o convite da Record? Teve o apoio do seu marido?

Estou muito feliz com a proposta, o papel e o salário. Não posso ganhar pouco, sou pai e mãe. Ir para a Record é cortar o cordão umbilical com o Marcos. Claro que ele ficou preocupado com o que as pessoas iriam achar de a mulher dele ir para o canal concorrente, mas ligou para o Edson Spinello (diretor da Record) e agradeceu.

4- O pai do seu filho foi assassinado quando o menino tinha 7 anos. Como é criar um adolescente sozinha?

Uma missão quase impossível. Samuel tem 16 anos e uma cultura que eu não tenho. É maravilhoso proporcionar isso a ele. Ele toca teclado, guitarra, violão. Mas não é um menino muito fácil de lidar, o humor dele é sarcástico. É muito complicado ser pai e mãe de um menino que tem essa cabeça, mas ele é um menino de ouro.

5- Você e Marcos Paulo moram em casas separadas. Não pensam em morar juntos?

Se amanhã ou depois eu e o Marcos não rolarmos mais, tenho meu canto. Tem dias em que o Marcos me perturba, aí, pego o carro e venho para cá (sua casa). No dia seguinte, ele me liga e acaba a briga. Dá certo.

6- Posaria nua?

Sim, estou só esperando os números aumentarem, a grana certa. É um trabalho como outro qualquer.

7- Você ficou ao lado do Marcos Paulo quando ele estava se tratando de um câncer. Teve medo de ele morrer?

Medo da morte a gente sempre tem. Eu me apeguei aos deuses, à minha mãe de santo, Nara. O Marcos chegou a falar que queria se separar de mim para eu não sofrer. Foi uma porrada. Pensei por dois segundos e falei: "Olha o tamanho dessa barriga, você está com lombriga!", e o fiz sorrir. Depois, chorei muito.

8- Pensa em ter mais filhos?

Vou adotar um quando tiver condições financeiras, mas parir, não pretendo, não. Vou pegar um cabeçudo do Nordeste (risos).

9- Já sofreu algum preconceito por ser nordestina?

A gente sofre preconceito por tudo. Pobre, nordestino, mulher de diretor, negro, loira. Mas ninguém sabe que eu trabalhava na Rua da Alfândega (Ccentro do Rio) e de noite ia para a Martins Pena (escola de teatro) estudar. Muitas vezes, para não ser assaltada, tive que me passar por prostituta, quando ia para a Central do Brasil pegar ônibus, à meia-noite.

10- Por que é tão polêmica?

Quando alguém fala mal de mim, vou lá e revido. Ninguém é totalmente bonzinho ou totalmente mau. Não me acho polêmica. Cansei de evitar confusão, mas, se me pegam de ovo virado...

Fonte: revistaquem.globo.com.br