Prejudicada por som baixo, Marron 5 não consegue empolgar multidão no Rock in Rio

Prejudicada por som baixo, Marron 5 não consegue empolgar multidão no Rock in Rio

Maroon 5 não empolga no Rock in Rio

Se o Maná não levantou a temperatura do público no Rock in Rio, o Maroon 5 manteve o clima sonolento. Penúltima atração do sábado (1º) no palco Mundo, o grupo norte-americano foi uma atração "surpresa", já que veio substituir o furão Jay-Z. Sucesso nas FMs comportadas, a banda liderada por Adam Levine faz um pop em banho-maria, que fica no vai-não-vai. Com o som baixinho, então, não levanta nem o fã mais bem intencionado.

Podia ser uma decisão estética, do tipo "não somos extremos nem no volume", mas não era só isso. Além da origem realmente estar baixa, o vento levava as ondas sonoras para todos os lados. Foi, sem dúvida, o pior som até agora no Rock in Rio.

Revelado em 2002, o Maroon 5 vendeu 12 milhões de cópias com seu primeiro disco, "Songs About Jane". Dele, saíram cinco músicas do repertório, justamente as mais aplaudidas, começando por "Harder to Breath". Na sequência, em "Sunday Morning", bastante executada nas rádios daqui, o vocalista sex symbol Adam Levine, com sua barba cuidadosamente por fazer, tirou a jaqueta e arrancou os primeiros gritinhos da noite.

Gritinhos de voz aguda que ele mesmo solta com frequência, assim como o rebolado insistente, influência claríssima de Michael Jackson. A figura do astro está também na música da banda, que coloca em seu pop asseado alguma coisa de disco, r&b e soul, embora de forma tão comedida que deixa a galera do Jota Quest parecendo funkeiros do Bronx.

Verdade que o público acompanhava no início de bom grado, só que não há boa vontade que resista a canções pouco conhecidas, mesmo para uma máquina de singles como o Maroon 5. Não demorou para o burburinho encobrir o que se fazia no palco.

Passada a metade do show, um indício de que algo podia mudar. Levine foi ao microfone e perguntou: "Vocês ainda não ouviram barulho. Querem barulho?". A resposta obviamente foi positiva. Mas daí as guitarras de "Wake Up Call", teoricamente furiosas, mostraram a potência de um ventilador movido a pilha. E a apresentação continuou como estava antes, insossa.

A trinca de músicas final deu uma levantada. O hit "This Love" espantou um pouco a letargia da plateia, que acordou durante a longa versão de "She Will Be Loved", outro sucesso, ambos de "Songs About Jane". Mas sacudir o público na hora de ir embora funcionou mais como um favor para ajudar a esticar as pernas ou motivar uma ida ao banheiro. Não teve graça nenhuma.

Veja a lista de músicas do show do Maroon 5 no Rock in Rio:

"Moves Like Jagger"

"Harder to Breathe"

"Sunday Morning"

"If I Never See Your Face Again"

"Misery"

"Makes Me Wonder"

"The Sun"

"Won"t Go Home Without You"

"Never Gonna Leave This Bed"

"Wake Up Call"

"Stutter"

"This Love"

"Hands All Over"

"She Will Be Loved"

Fonte: IG