Professora pede demissão por usar roupa com decote

Professora pede demissão por usar roupa com decote

Professora pede demissão após roupas causarem polêmica em escola

A professora Alexandra Maria Aleixo, de 38 anos, saiu do anominato na semana passada. Ela chamou a imprensa para "denunciar" que estava sofrendo preconceito no ambiente de trabalho. Loura, com 1,57 metro de altura, 52,9 quilos, 66 centímetos de cintura, 90 cm de quadril e 89 cm de busto, ela causou polêmica em sala de aula da Escola Estadual José Gabriel de Oliveira em Vespasiano, cidade da região metropolitana de Belo Horizonte, pelas roupas que usava para lecionar Ciências.

Alguns alunos e pais foram à direção do colégio, que pediu a ela que trocasse o figurino. Como não aceitou, resolveu que vai pedir demissão na próxima sexta-feira, dia que em dá aulas no colégio.

A ?Professora Gostosona?, como passou a ser chamada depois do episósio em redes sociais, já tem convite para desfilar no carnaval do Recife, com direito a cachê de R$ 5 mil e hospedagem em hotel de luxo. ?Vou fazer plástica também. Como vou ser musa assim ao natural??, diz ela, demonstrando interesse em ?ficar famosa? e participar de reality shows. ?Imagina quando eu for convidada para participar do programa ?A Fazenda? (Record)??



Alexandra, que além de ser professora é estudante do 7º período de fisioterapia e especialista em dança do ventre, não concordou com o posicionamento da escola. ?A diretora pediu para que eu mudasse minhas roupas porque estava chamando muita atenção e criando tumulto. Minha roupa não tem nada de imoral. Eu não estava com seios à mostra, nem com a poupança de fora. Estava vestida como qualquer outra pessoa. Ela estava discriminando meu porte físico porque sou bonita.?

Vânia Rosália Lima Marcelino, diretora da escola, afirma ao iG que essa não foi a primeira vez que precisou conversar com funcionários sobre problemas de comportamentos. ?Eu só fiz um alerta porque a roupa dela estava causando desconforto. A nossa conversa foi estritamente particular. Eu fui dar um toque nela para tentar protegê-la de comentários maldosos. Coloquei-me no lugar dela porque as pessoas falavam coisas horríveis sobre o modo como ela se vestia.?



A diretora explica que não registrou advertência por escrito. ?Todo funcionário sabe que há um código de conduta e leis que o servidor deve obedecer. O foco da nossa escola está no ensino, na qualidade do ensino não em vaidades pessoais. As roupas dela sempre foram ousadas.?

Alexandra defende-se e afirma que comprou roupas novas quando começou a dar aulas porque não tinha muitas opções. A dançarina mostrou à reportagem camisetas de alcinha e a estampada que causou a polêmica. Casada e mãe de dois filhos, ela tem o apoio da família para não ceder aos pedidos da escola. ?Tudo o que é bonito é para se mostrar?, diz o marido Gervásio Gomes Junior, 38 anos, com quem é casada há 19 anos.

?Acho que a diretora está errada porque na minha escola há professoras que vão de bermuda e roupas curtas e a diretora não fala nada. Minha mãe não usa roupas indecentes. Eu digo a ela para não dar ouvidos às críticas maldosas e somente escutar as coisas boas. Quando eu crescer, quero ser igual a ela?, completa a filha Tássia Heryn, de 10 anos.



Fonte: IG