Quase metade dos brasileiros trabalha até onze horas por dia

Pesquisa internacional aponta que, no resto do mundo, esse índice é de 38%

Se você acha que tem trabalhado muito nos últimos tempos, saiba que não está sozinho. Uma pesquisa internacional mostrou que 43% dos profissionais no Brasil trabalham de nove a onze horas por dia. No restante do mundo esse percentual é de 38%.

O levantamento, feito pela multinacional inglesa Regus, mostrou que o famoso ?horário comercial? (das 9h às 18h) está com os dias contados. Mais da metade dos profissionais no Brasil trabalham além das oito horas por dia e mais de 40% levam trabalho para concluir em casa regularmente.

Você é ansioso no trabalho?

Outros resultados mostram que 17% dos profissionais no Brasil e 10% em outros países trabalham mais de onze horas por dia regularmente. Cerca de 46% dos brasileiros empregados levam trabalho para terminar em casa mais de três vezes por semana, contra 43% dos empregados no resto do mundo. Os profissionais do sexo masculino no país (20%) têm quatro vezes mais chances de trabalharem 11 horas diárias do que as mulheres (4%).

Os 10 mitos das entrevistas de emprego

?As mulheres parecem estar menos propensas a trabalharem mais horas por dia, provavelmente porque há mais chances de trabalharem meio período. Por outro lado, colaboradoras de pequenas empresas geralmente trabalham mais horas por dia do que funcionárias de grandes corporações?, explica Guilherme Ribeiro, diretor geral da Regus no Brasil.

Estudo mostra que trabalhador paga 40% da renda em impostos

A pressão por resultados foi o principal motivo apontado pelos entrevistados para o aumento do número de horas de trabalhados nos últimos anos. O movimento, segundo o estudo, seria reflexo da lenta recuperação da economia nos países desenvolvidos e, ao mesmo tempo, do rápido crescimento dos países emergentes.

Remotos

Mundialmente, os profissionais remotos estão mais propensos a trabalharem 11 horas por dia (14%) do que os funcionários em escritórios fixos (6%). Eles também levam trabalho para casa com mais frequência (59%) do que os profissionais com local de trabalho fixo (26%). Da mesma maneira, os profissionais remotos no Brasil (59%) levam trabalho para casa com mais frequência do que os funcionários com local de trabalho fixo (22%).

Ter um emprego ruim é pior para sua saúde mental do que estar desempregado

?O estudo mostra que existe uma indefinição entre os limites do trabalho e a vida pessoal, em casa?, afirma Ribeiro. ?No Brasil, onde o problema do estresse relacionado à pressão por resultados está crescendo, os efeitos a longo prazo disso podem prejudicar tanto a saúde do profissional como sua produtividade, já que os próprios funcionários exigem demais de si mesmos e ficam frustrados, depressivos e até mesmo fisicamente doentes.? Foram ouvidos no estudo 12.000 profissionais em 85 países.

Fonte: Revista Época