Rede Globo tem fila de apresentadoras à espera de uma bancada

Rede Globo tem fila de apresentadoras à espera de uma bancada

A recente ascensão de Monalisa Perrone — de repórter e apresentadora eventual (cobrindo folgas) a titular do telejornal Hora Um da Notícia — reacendeu a disputa na Globo entre apresentadoras ávidas para ter uma bancada para chamar de sua.


Uma das primeiras da lista é Flávia Freire. A jornalista já tem uma extensa lista de serviços prestados. Destacou-se ao cobrir a licença-maternidade de Mariana Ferrão, do Bem-Estar, durante mais de seis meses. No dia a dia, Flávia apresenta o quadro de previsão do tempo, cobre folgas nos telejornais locais da Globo e participa do rodízio de apresentadores no Jornal Hoje. Nascida em Serra do Navio, no Amapá, a jornalista de 40 anos está na Globo desde 1998.


Outro nome forte em busca de uma vaga em bancada é Ana Paula Campos, 36 anos. A apresentadora comandava a edição diária do Globo Rural desde março de 2009. Em novembro, com o fim do jornalístico que deu lugar ao Hora Um da Notícia, foi transferida para a reportagem geral. Ela está no Grupo Globo desde 2000. Passou a maior parte do tempo na GloboNews, onde atuou como repórter e apresentadora. Ana Paula é de Petrópolis, a cidade imperial na região serrana do estado do Rio.


A paranaense Izabella Camargo, 33 anos, tinha uma posição estável na Band, substituindo casualmente Boris Casoy e Ticiana Villas Boas no Jornal da Noite e Jornal da Band, respectivamente, quando se transferiu para a Globo. Na nova emissora ela passou a atuar exclusivamente como repórter. Hoje faz também a previsão meteorológica e participa, às vezes, do quadro Radar SP do Bom Dia São Paulo.


Veruska Donato está na Globo desde 2000. Nascida em Campo Grande (MS), ela ganhou destaque fazendo reportagens em Brasília. Desde 2002 em São Paulo, atualmente comanda o quadro Sala de Emprego no Jornal Hoje, toda segunda-feira, além de gravar matérias do cotidiano. Durante um período foi a âncora de São Paulo do Jornal das 10, da GloboNews. Aos 42 anos, é considerada uma das repórteres mais experientes da emissora.


Outra jornalista cotada para assumir uma bancada é Gloria Vanique. No canal 21, pertencente ao Grupo Bandeirantes, ela desempenhava a função de âncora. Ao se transferir para a Globo começou na reportagem. No momento interage com Rodrigo Bocardi no Bom Dia São Paulo e faz substituições eventuais de titulares dos telejornais da Globo SP.


Após conquistar o posto de apresentadora na TV Cultura, Maria Julia Coutinho chegou à Globo como repórter. Rapidamente ganhou status. Hoje responde pela previsão do tempo no Hora Um, no Bom Dia Brasil e, eventualmente, no Jornal Nacional.


Entre as veteranas quem está sem bancada é a carioca Carla Vilhena, 47 anos. Em abril de 2013, a jornalista foi substituída por Rodrigo Bocardi no comando do Bom Dia São Paulo. Passou a fazer reportagens para o Fantástico, onde já havia sido apresentadora. Ela permanece no rodízio do Jornal Nacional. Por enquanto não há previsão de retomar a função de âncora. Carla está na Globo desde 1997. Para a maioria dos que trabalham em TV, chegar à bancada de algum telejornal representa atingir o auge da carreira. Porém há mais talentos do que vagas.

Fonte: Terra