Rio: Cartazes e flores são retirados de muro de escola

O arcebispo do Rio, Dom Orani Tempesta fez um apelo para que as homenagens fossem retiradas.

Garis da Comlurb começaram a retirar cartazes e flores que estavam expostos no muro da escola Tasso da Silveira, em Realengo, na Zona Oeste do Rio. Após a missa de sétimo dia realizada no local, o arcebispo do Rio, Dom Orani Tempesta fez um apelo para que as homenagens fossem retiradas.

?Peço que as pessoas retirem esses cartazes, flores e faixas do muro da escola e guardem para que as homenagens fiquem como lembrança. Mas esse local precisa voltar a ser como antes, um lugar de felicidade?, disse.

Sargento é ovacionado

Na chegada à missa, o sargento Márcio Alves, que baleou o atirador, foi recepcionado como herói pelo público que homenageava as vítimas. Em seu discurso, o sargento pediu para que as crianças continuassem estudando na escola.

"Aos pais, aos alunos, peço que não abandonem esta escola. Aqui vocês vão encontrar forças para se recuperar disso", disse ele, sendo aplaudido em seguida. Aos gritos de "herói" subiu no palco para receber flores e agradecimentos. Segundo ele, a maior premiação que poderia ter por ter impedido uma tragédia maior foi o reconhecimento que recebeu.

A minha dor não é a mesma de vocês, não chega à intensidade da de vocês, mas eu também sinto, tenho filhos", disse. "Que esse fato não se repita nunca", encerrou.

Um helicóptero da Polícia Civil jogou pétalas de rosas durante a cerimônia. Em seguida, um outro helicóptero da Polícia Militar também homenageou as vítimas da tragédia.

Fonte: g1, www.g1.com.br