Ronaldinho visita vítimas de massacre em Realengo (Rio)

Ronaldinho visita vítimas de massacre em Realengo (Rio)

Foi muito emocionante. Tinha muita gente em volta, mas conversei um pouquinho com elas, disse ele

Ronaldinho Gaúcho e a presidente do Flamengo, Patricia Amorim, estiveram nesta sexta-feira no Hospital Estadual Albert Schweitzer, em Realengo, onde estão internadas duas vítimas da tragédia na Escola Municipal Tasso da Silveira. Ronaldinho e Patricia chegaram acompanhados do secretário de Saúde e Defesa Civil do Rio, Sérgio Côrtes.

- Foi muito emocionante. Tinha muita gente em volta, mas conversei um pouquinho com elas (crianças). Soube que queriam me conhecer e estou aqui para dar um apoio nesse momento difícil. Fico feliz por poder dar um pouco de alegria e desejo que se recuperem. Minhas palavras foram essas. Um deles é muito flamenguista, mas não prometi gol. Não sabia como seria sua reação, pois ainda está sob efeito de medicamentos. Ele se emocionou e eu também. O futebol tem esse poder de dar alegria às pessoas - disse Ronaldinho.

Ronaldinho e Patricia deixaram o Hospital Estadual Albert Schweitzer, em Realengo, por volta das 14h30m. Não foi confirmado se eles seguiram para o Hospital Adão Pereira Nunes, em Saracuruna, local em que estão internadas outras duas vítimas.

A presença do astro mexeu com a rotina do Albert Schweitzer. O horário de visitas começa às 13h, mas o jogador só chegou ao local às 13h40m. Com toda a segurança mobilizada para o jogador, as demais pessoas foram impedidas de entrar no hospital neste período. Por isso, ao deixar o local, o carro que levava o craque foi vaiado.

- Quero visitar minha sogra e não consigo. Por que não fizeram isso na parte da manhã? Trabalhei a noite toda, estou cansado, não posso ficar aqui esperando esse tempo todo - reclamou o rodoviário Márcio Bispo.

Fonte: Globo, www.globo.com