Sexo freqüente rejuvenesce e pode reduzir risco de infarto

Sexo freqüente rejuvenesce e pode reduzir risco de infarto

Homens de meia-idade podem ter sexo com a freqüência que quiserem sem aumentar o risco de sofrerem um derrame, afirma uma pesquisa que demorou 20 anos para ser concluída.

O estudo da Universidade de Bristol, na Grã-Bretanha, durou 20 anos e foi realizado com mais de 3.000 homens de 45 a 59 anos.O resultado da pesquisa mostra que sexo mais freqüente pode reduzir o risco de infartos fatais. De acordo com as conclusões do estudo, a morte súbita causada por problemas de coração é mais comum entre homens que afirmam ter níveis baixos ou moderados de atividade sexual. Segundo Eoin Redahan, diretor da Stroke Association (Associação de Estudo de Derrames), que patrocinou a pesquisa, derrames acontecem normalmente à noite ou pela manhã. "Como a atividade sexual é normalmente maior nestes períodos, algumas pessoas concluíram que existia uma ligação entre praticar sexo e sofrer derrames. O estudo mostra que não há", afirma Redahan.



Na opinião de Ian Banks, presidente do Fórum Britânico para a Saúde Masculina, "se os homens fizerem exercícios regularmente e tiverem sexo também com regularidade, apesar do fato de que a pressão arterial sobe durante ambas as atividades, a pressão basal (metabolismo básico) vai ser reduzida". Dos homens estudados, um em cada cinco tinha relações sexuais menos de uma vez por mês e um em cada quatro afirmou que mantinha relações pelo menos duas vezes por semana. Durante o estudo, 65 participantes morreram, sendo que 26 sofreram derrames. Apesar de os homens que tinham vida sexual menos intensa terem suas chances de sofrer derrames um pouco reduzidas, a diferença não foi suficiente para comprovar que os que tinham uma vida sexual mais intensa pudessem estar correndo um risco maior.



Rejuvenescimento

Uma pesquisa feita por um psicólogo escocês diz que o sexo vigoroso e frequente pode deixar as pessoas sete anos mais novas na aparência. O psicólogo David Weeks e o escritor de artigos científicos Jamie James entrevistaram 95 pessoas que parecem mais jovens do que são. Eles sustentam que o sexo é um fator muito importante na aparência de juventude dessas pessoas. "Tanto quanto qualquer outra atividade física, o sexo é parte importante da vida dessas pessoas desde o final da adolescência até o final da vida deles", colncluíram os pesquisadoes. Sexo frenético pode reduzir o tecido gorduroso e liberar endomorfina, que são analgésicos naturais e reduzem a ansiedade.

O doutor Weeks diz que os casais que fazem sexo pelo menos três vezes por semana parecem até 10 anos mais novos do que a média das pessoas, que faz sexo duas vezes por semana. Ele diz que a responsabilidade dos fatores genéticos na aparência de juventude é de 25%. Segundo o doutor Weeks, a importância do comportamento das pessoas é três vezes mais importante.

Fonte: AE