Sites oferecem tratamento estético de forma irregular

Empresas dizem ter critérios de escolha; prática é considerada irregular pelo CFM



Dois dos principais sites de compras coletivas, Groupon e ClickOn, afirmam seguir critérios rigorosos na escolha das ofertas oferecidas, sobretudo nas áreas de tratamentos estéticos e odontológicos, um de seus maiores nichos.

No Groupon, cerca de 60% das ofertas vendidas são do segmento de estética e beleza, segundo Rafael Singh, diretor de marketing do site. A triagem dos serviços ofertados é realizada por uma equipe de inteligência que avalia o estabelecimento, diz Singh.

No ClickOn, mais da metade das ofertas (51%) disponíveis são das áreas de beleza e estética, o que engloba massagem, depilação geral e a laser, serviços de cabeleireiro, de dermatologia, entre outros tratamentos.

De acordo com Claudia Woods, diretora de marketing do site, consultores de venda comparecem ao local para avaliar, além da atratividade das ofertas, padrões de qualidade, limpeza, preparo dos profissionais e o tamanho da clínica.

Com critérios parecidos, o R7 questionou a ambas se seus consultores de vendas realmente são capazes de avaliar instalações de equipamentos médicos.

Woods, da ClickOn, diz que suas equipes contam com supervisores especializados. Mas nenhum deles é profissional de saúde.

Por e-mail, a assessoria esclareceu que ?em tratamentos estéticos invasivos, como botox, o ClickOn coloca as ofertas no ar com o CRM do médico responsável. No caso de clareamento dental, o ClickOn trabalha alinhado ao CRO (Conselho Regional de Odontologia)?. A oferta de clareamento vista na foto acima é da empresa. A propaganda apresenta nome do dentista sem o número de registro.

O CRO não confirmou a afirmação do ClickOn e respondeu em nota.

- A legislação ética veda, sob qualquer forma, a divulgação (anúncio) de valores, formas de pagamento, vantagens, benefícios e descontos.

O Groupon afirma que ?há um cuidado maior para fechar as ofertas e tudo que envolve saúde em tratamentos?.

- Procedimentos médicos muito específicos, como implantes de silicone, lipoaspiração, a gente não vende porque o conselho [Federal de Medicina] diz que não pode.

A propaganda de lipo não invasiva vista na foto acima é uma reprodução retirada do site Groupon.

Segundo o corregedor do CFM (Conselho Federal de Medicina), mesmo as ofertas de tratamentos estéticos que não requerem supervisão médica são irregulares.

- Qualquer anúncio de medicina estética já está irregular na sua origem, porque não é uma especialidade médica. O nome lipo não invasiva está errado. Se tiver algum médico por trás dessa clínica, dos anúncios, eles devem ser denunciados nos conselhos para serem investigados.

Fonte: R7, www.r7.com