Theatro 4 de setembro recebe “África de Onde Viemos” dos alunos da Casa Meio Norte

Theatro 4 de setembro recebe “África de Onde Viemos” dos alunos da Casa Meio Norte

Houve um envolvimento com o tema, tendo sido pesquisado de uma forma que pudesse aparecer no palco por meio da dança, a beleza do povo africano

A Casa Meio Norte e Escola Paulo Nunes apresentam, no dia 29 de outubro, a partir das 19h, no Theatro 4 de Setembro, o espetáculo ‘África de Onde Viemos’. Religiosidade, cultura, arte, costumes, a riqueza de um povo que marcou a história do Brasil e está presente no cotidiano da nação é o foco da produção que irá reunir alunos, professores, servidores e pais dos estudantes.

O trabalho de pesquisa que passou pelas raízes africanas, a coreógrafa Samara Rocha, juntamente com toda a equipe do espetáculo, procurou dar vida ao projeto musical que será apresentado nesta quarta-feira. “Fizemos um resgate da cultura africana, as riquezas, colocando as danças, a religião como o candomblé, mostrando tudo o que eles construíram ao longo da sua história”, diz Rutineia Lima , coordenadora da Casa Meio Norte.

Segundo ela, houve um envolvimento com o tema, tendo sido pesquisado de uma forma que pudesse aparecer no palco, por meio da dança, a beleza do seu povo. E para isso, foi usada a criatividade, mas também a sensibilidade na hora de compor figurino, coreografias, cenário, levando para a arte o reconhecimento da contribuição que veio junto com eles, desde que deixaram sua terra natal, o continente africano, para vir morar no Brasil. E o resultado não poderia ser diferente e poderá ser conferido no palco do Theatro. “Fico arrepiada só em ver os ensaios. A gente se emociona com o está sendo feito”, diz.

Tudo foi cuidadosamente pensando, e trabalhado nos mínimos detalhes. Até mesmo as fotos que compõem o material de divulgação foram feitas em um local que tivesse um contexto com o tema do espetáculo. Para fazer as imagens, o grupo se deslocou até o assentamento Emiliano Zapata, que fica localizado na comunidade rural de Teresina, conhecida como Angolá. O ambiente foi ideal e resultou num trabalho bem bonito. O figurino complementa o cenário ao ar livre. Os responsáveis são os fotógrafos Aureliano Muller e Joe Lewis.

Rutinéia lembra que além de fazer um resgate da cultura negra, é importante a valorização do seu povo e o respeito pelas raízes. “Existe essa miscigenação dos povos, temos que ter respeito às crenças de cada um e através do espetáculo procuramos também fazer um resgate da religiosidade”, comenta.

Importante lembrar, também, que ‘África de Onde Viemos’ é composto por um elenco formado por alunos da Escola Meio Norte (crianças de 4 a 11 anos), da Escola Paulo Nunes (de 11 a 18 anos), professores, servidores das escolas, além de alguns pais. Esse trabalho conjunto é resultado da dedicação de todos e que contagia a todos. “Até eu estou no espetáculo como figurante. Não podemos deixar de ressaltar o trabalho que vem sendo desenvolvido de levar uma educação pública de qualidade a essas crianças e jovens”.

O espetáculo acontece a partir das 19h e o ingresso custa apenas R$ 10,00. ‘África de Onde Viemos’ conta com o patrocínio do Sistema Meio Norte de Comunicação.                 
                         




Clique aqui e curta Portal Meio Norte no facebook

Fonte: Liliane Pedrosa