Portal meionorte.com BETA

PUBLICIDADE
ESCONDER
••• atualizado em 20 de Abril de 2011 às 12:26

Travesti do You Tube diz como fez para mudar de vida

Marcos Moraes
PUBLICADO POR

Marcos Moraes


Repórter

No verão passado, Luisa Marilac decidiu fazer algo diferente. Ela só não previa que o vídeo no qual desfrutava de um dia de sol na piscina de sua casa na Espanha, tomando seus ?bons drink?, faria dela uma celebridade da internet.

?Menina! Passei a tarde na cama, só falando com o povo no Twitter. Meus Deus, quanta gente!?, contou a transexual na terça-feira (19), data em que o vídeo intitulado ?Luisa Casa Roqueta? ultrapassou os 800 mil acessos no YouTube. (clique aqui para ver)

Filmada com uma câmera amadora em junho de 2010, a gravação era uma pequena vingança de Luisa contra um ex-namorado italiano. ?Nós moramos em Roma por dois anos e mudamos para Madri para nos casar. Chegando aqui, ele me roubou, fugiu com meus documentos, meus cartões de crédito, me deixou na m...?, explica. ?Quis fazer o vídeo para mostrar que apesar de tudo, eu não estava na pior?.



Nas cenas em que joga na cara do ex o glamour da casa com piscina no povoado de Roqueta de Mar, no sul da Espanha, Luisa dispara uma sequência de frases que têm virado bordões nas redes sociais.

?Neste verão eu decidi fazer algo de diferente. Decidi ficar na minha casa, na minha piscina, com meus bons drink [sic] curtindo esse verão maravilhoso na Europa?, diz a brasileira na gravação, antes de dar um mergulho na água ?geladíssima?. ?E teve boatos de que eu estava na pior... Se isso é estar na pior, que quer dizer estar bem? P...?, completa Luisa, com ar debochado.

Descobertas só recentemente por usuários do Twitter e do Facebook, as máximas de Luisa ganharam até as pistas de dança. Misturadas a arranjos eletrônicos, as pérolas proferidas pela transex foram convertidas em versos de hits de baladas moderninhas.

?Fiz o remix por zoação e toco em festas em que o pessoal tem mais humor?, conta o DJ Nedu Lopes, que se apresenta nos clubes paulistanos Vegas e Glória. Já o DJ Dolores de las Dores, do projeto Las Bibas from Vizcaya, produziu uma versão batizada ?Momentos meus?, executada na Red Party, do Sonique Bar, também em São Paulo. "Enfio a música no meio de um set maluco, intercalando com Gretchen ou Lady Gaga?, conta.

Assim como o vídeo original de Luisa, os remixes também fazem sucesso: ambos já tiveram mais de 55 mil acessos no YouTube.

Vida "hétera" no Brasil

O assédio virtual dos brasileiros causou certo banzo na neodiva gay da web, que faz planos de visitar o país no próximo dia 6 de maio. A data não foi escolhida à toa: é o aniversário de Luisa ? que jamais revela a idade. ?Coloca aí que sou da época do "Fuscão preto". E abafa o caso?, pede.

Na vinda ao país, ela pretende ir direto ao encontro da mãe, que trabalha como cabeleireira em Guarulhos, na Grande São Paulo. Também planeja visitar familiares que vivem em sua terra natal, Além Paraíba, localizada na Zona da Mata mineira.

?É uma cidade pequenininha e acolhedora, que faz divisa com o Rio, na BR 116?, detalha. ?Quando volto para lá, levo uma vida de "hétera" e tento passar o mais discreta possível. Sei que aí no Brasil travesti leva pedrada na rua?.

A violência contra os homossexuais no país é tema que preocupa Luisa. Ela diz que foi justamente um ataque homofóbico que a fez se mudar para a Europa há mais de duas décadas.

?Levei sete facadas nas costas dentro de um bar em São Paulo. Fiquei em coma dois dias e me trataram feito animal em um hospital público?, explica. ?Essa semana me mandaram aquele vídeo do travesti assassinado na Paraíba e fiquei em estado de choque, não consegui nem dormir!?.

Quando se mudou para a Europa, Luisa caiu na prostituição, como fazia desde a adolescência na Grande São Paulo. ?A diferença é que na Itália eu não sentia medo, no máximo alguém me olhava feio. No Brasil, travesti que está na vida sabe que pode ser linchado, assassinado...?.

A transex diz que há quase três anos deixou de fazer programas. ?Ainda circulam uns anúncios meus em alguns sites. Já tentei tirar todos do ar, mas é tão difícil...?, lamenta.

Atualmente, diz ela, o sustento vem da renda que acumulou. Mora em um apartamento no centro da capital espanhola e no verão, aproveita o calor na casa da Roqueta. ?É tudo alugado, mas é meu. Eu pago o aluguel, então é meu?, enfatiza.

?Adoro o agito de Madri, mas prefiro ficar na Roqueta, que é um lugar menorzinho. Sempre fui uma moça do interior?, confessa, aos risos. ?Sou uma dona-de-casa que gosta de ver tudo limpinho, receber as amigas. Coisa de mulherzinha?.

Silicone da vizinha

Com 1,85m de altura, cintura fina, seios e quadris fartos, Luisa se considera uma ?travesti à moda antiga?. ?Plástica mesmo só fiz no nariz. O resto é aquele silicone que você bate na porta da vizinha e pede pra ela aplicar?, revela, sem pudores.

O corpão exagerado às vezes atrapalha na hora de escolher um modelito de alta-costura. ?Grife é coisa tão rara de me servir... Comprei um vestido Roberto Cavalli que ficou péssimo. Comprei uma bota Calvin Klein que na primeira esquina quebrou o salto. Fico louca da vida, não compensa gastar tantos euros?, pondera. ?E tem mais: aprendi a me olhar no espelho e me achar linda, não importa a roupa?.

Os investimentos mais altos, diz ela, são nos perfumes. ?Sou muito exigente e se você me perguntar, sei o nome de todos: Lancôme, Chanel, Givenchy...?, desafia. ?Mas o meu preferido é o Insolence, da Guerlain. Adoro um cheirinho bem doce?.

COMUNICAR ERRO

Comunique à Redação erros de português, informação ou técnicos encontrados nesta página:

  • Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente ao Portal Meio Norte
129052,noticias

Manchetes em destaque

ver todas as manchetes
Exibir em:

AKICOMPRO

Redes Sociais

  • Facebook
  • Google Plus +1
  • Instagram