Adriano vai sentar hoje no banco dos réus para explicar tiro em mulher no seu veículo

Adriano vai sentar hoje no banco dos réus para explicar tiro em mulher no seu veículo

Vítima do tiro mudou a versão novamente em setembro passado.

Acontece nesta terça-feira (11), às 15h, no 9º Juizado Especial Criminal, na Barra da Tijuca (zona oeste), a audiência de instrução do processo ao qual o jogador Adriano responde pelo tiro que feriu a mão de Adriene Cyrilo Piro, dentro do carro do atacante, em dezembro de 2011. O amigo do atleta e ex-policial Júlio Cesar Pinto também reponde por lesão corporal.

O fato ocorreu na avenida das Américas, próximo ao InfoBarra, após Adriano e Júlio Cesar deixarem uma boate em Jacarepaguá, também na zona oeste, acompanhados de outras quatro mulheres. De acordo com denúncia do MP-RJ (Ministério Público), Julio Cesar carregava uma arma de fogo, registrada em seu nome, da marca Taurus, tipo pistola, calibre 40, o que era de conhecimento de Adriano.

Em novembro passado, uma audiência especial tentou acordo entre as partes, mas os advogados do jogador e do ex-policial não aceitaram o pagamento de 150 e 30 salários mínimos, respectivamente. Por isso, a Promotoria ofereceu denúncia à Justiça.

A audiência especial foi marcada depois que o Ministério Público estudou o inquérito conduzido pela Delegacia da Barra da Tijuca (16ª DP) e considerou que havia falhas nos laudos periciais.

Diante da constatação, o MP intimou Adriene a prestar novos esclarecimentos. Foi então que ela revelou que havia mentido quando disse que Adriano estava no banco da frente do carro e não teria manuseado a arma. A modelo contou que, na ocasião, se sentiu pressionada e, além disso, teria recebido a promessa de que o jogador pagaria suas despesas médicas.

Na última versão relatada, Adriene afirmou que o atleta estava com a arma do ex-policial na mão e sentado ao seu lado no banco traseiro do veículo.

Fonte: R7, www.r7.com