Advogada diz que Robinho pode ser emprestado a clube brasileiro

Advogada diz que Robinho pode ser emprestado a clube brasileiro

Marisa Alija confirma conversa entre Milan e Orlando City, que só pode estrear na liga dos EUA em 2015.

A advogada Marisa Alija, representante de Robinho, confirmou as conversas entre o Orlando City, dos Estados Unidos, e o Milan, da Itália, para a transferência do jogador. Ela também admitiu que o atacante, de 30 anos, pode até ser emprestado a um clube brasileiro caso a negociação com os norte-americanos seja fechada - o Orlando só estreia na Major League Soccer (MLS) em 2015 e, para o jogador não ficar inativo, ele disputaria o restante do Campeonato Brasileiro - o Santos é um dos interessados.

- Houve a procura formal (do Orlando), tanto que o Adriano Galliani (diretor-geral do Milan) se manifestou. Agora, as partes negociam. Se realmente fechar com o Orlando, (jogar no Brasil) é uma das opções. Não adiantaria ele ficar seis meses sem atuar - afirmou Marisa, por telefone.

A representante, porém, adotou cautela quanto ao futuro do atacante. Segundo ela, as conversas entre Robinho, Milan e Orlando estão no início, o que deixa a possibilidade de o atleta voltar ao Brasil, por enquanto, em segundo plano.

- O Robinho tem contrato (com o Milan) até 2016. A conversa está em um estágio inicial. Ele pode ser emprestado (ao Orlando) ou vendido. Nós vamos ouvir a proposta, ver se os interesses batem. Se fechar, pode ser que ele venha para o Brasil e fique alguns meses, o que seria outra negociação. Poderia ser um empréstimo do Orlando ou do Milan - explicou.

A possibilidade de Robinho atuar nos Estados Unidos foi levantada pelo jornal ?Gazzetta dello Sport? em maio. A publicação disse, na época, que a transferência para o Orlando poderia levar o atacante a ser emprestado ao Flamengo até o fim do ano, de forma parecida com a negociação que culminou na cessão do meia Kaká, também contratado pelo time dos EUA, ao São Paulo por seis meses. O Santos também tenta repatriar o atacante.

Marisa, porém, garantiu que não há um clube prioritário no Brasil para o qual o atacante poderia ser emprestado. Segundo ela, há vários fatores que devem ser levados em conta.

- Nossa política hoje é de cautela. Ele vai priorizar as propostas que o priorizarem. Se vier uma proposta condizente, vamos estudar. Aí, a gente senta e negocia. Vai depender do caixa do clube, do que o clube quer. Tem um esquema tático para esses meses? Pode pagar um salário condizente com o que ele ganha ou, ao menos, dar subsídios para que ele se encaixe? Eles (clubes) têm de entender isso. Tem de ser bom para os dois - disse.

No caso do Santos, a última negociação acabou em troca de farpas entre o então presidente do clube, Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, e Robinho. Há duas semanas, porém, o atacante visitou o ex-time e até acompanhou uma partida da equipe sub-17. O nome do ídolo agradou ao técnico Oswaldo de Oliveira, que já conversou com os dirigentes santistas sobre a contratação.

Fonte: Globo Esporte