Alemanha deslancha no segundo tempo, elimina Grécia e vai à semifinal da Eurocopa

Alemanha deslancha no segundo tempo, elimina Grécia e vai à semifinal da Eurocopa

Com o resultado, os alemães apenas aguardam agora para saber quem serão os adversários das semis

A Alemanha confirmou seu favoritismo e conquistou nesta sexta-feira sua vaga para as semifinais da Eurocopa 2012. Jogando em Gdansk, na Polônia, diante da Grécia, o time comandado pelo técnico Joachim Löw se valeu da superioridade técnica, venceu a forte defesa helênica e garantiu o placar de 4 a 2, graças a um bom segundo tempo. Assim, juntou-se a Portugal - que se classificou na véspera - como os países que brigam por vaga na decisão.

Com o resultado, os alemães apenas aguardam agora para saber quem serão os adversários das semis: ingleses ou italianos, que medem forças neste domingo, em Kiev (Ucrânia). A semifinal, por sua vez, está marcada para o dia 28 de junho, em Varsóvia, de volta à Polônia.

Para o confronto desta sexta-feira, Joachim Löw surpreendeu e promoveu três alterações na equipe: saíram Müller, Podolski e Mario Gomez, entrando Reus, Schurlle e Klose. No entanto, mesmo com a troca do artilheiro da Euro (Gomez, com três gols) pelo veterano camisa 11 (Klose entrou em campo com 34 anos), a Alemanha soube administrar seus ataques, até encontrar o caminho para vencer a bem postada defesa da Grécia.

Os gregos, por sua vez, entraram em campo sem Karagounis, suspenso, e Gekas, por opção técnica - nas vagas, entraram respectivamente, Makos e Ninis. Mesmo assim, Gekas foi a campo no segundo tempo, justamente na vaga de seu reserva, mudando a dinâmica do jogo. Inicialmente defensiva, a equipe soube se equilibrar na etapa final, mas cometendo erros que prejudicaram a saída de bola da equipe.

Inicialmente com um jogo truncado da parte de alemães e gregos, a bola ficou presa no meio de campo nos primeiros minutos. Se a defesa helênica era forte, a germânica também não permitia que os rivais avançassem para o ataque. Aos 4min, Klose chegou a balançar as redes, massa arbitragem assinalou impedimento. Nos primeiros minutos, apenas o goleiro Sifakis conseguiu chamar a atenção, pedindo atendimento médico após dois choques - aos 5min e aos 13min - e ganhando vaias das arquibancadas.

Com um jogo mais analítico, a Alemanha tanto esperou que conseguiu achar os espaços para atacar. Aos 23min, após boa troca de passes, Schürlle rolou para o lado e Özil chutou rasteiro, com Sifakis tirando para escanteio - na cobrança, Klose cruzou e Reus mandou rente à trave. Aos 24min, Reus invadiu a área pela direita e cruzou para Klose, que não alcançou e deixou a bola escapar pela linha de fundo. Na resposta, aos 32min, Ninis recebeu de Samaras pela direita e chutou com perigo, exigindo boa defesa de Neuer.

A Alemanha, porém, era superior na partida e se aproximava do primeiro gol - como na chance de Khedira aos 36min, que mandou forte após o passe de Özil e só parou em Sifakis, que espalmou. Porém, aos 39min, o mesmo Ozil virou o jogo na esquerda para Lahm, que levou a bola para a entrada da área e arriscou um chute cheio de efeito, vencendo o goleiro grego e abrindo o placar na Arena Gdansk. De quebra, aos 46min, Schurlle também arriscou pela esquerda e assustou a torcida, acertando a rede pelo lado de fora.

Com a desvantagem, a Grécia voltou para o segundo tempo com duas mudanças: Tzavellas deu lugar a Fotakis e Ninis cedeu espaço a Gekas. Com isso, o time ganhou em mobilidade e velocidade, criando boas chances. Tanto que, aos 10min, os gregos já chegaram ao empate: após arrancada pela direita, Salpingidis cruzou rasteiro para a área e Samaras escorou de carrinho - a bola ainda bateu em Neuer antes de entrar.

A igualdade no marcador, porém, durou apenas até os 16min: após cruzamento de Boateng pela direita, Khedira apareceu na área e acertou um bonito sem-pulo, fazendo 2 a 1. De quebra, aos 23min, Klose apareceu por cima e fez 3 a 1 em cabeçada. E aos 29min, Sifakis cortou a bola do mesmo Klose na área - porém, Reus apareceu na esquerda e chutou forte, acertando o travessão antes de mandar a bola para as redes sem goleiro.

No fim, Löw ainda lançou mão de nomes como Thomas Müller e Mário Gomez, chegando perto do gol: aos 40min, Müller fez o trabalho de pivô e ajeitou para Özil, mas Sifakis defendeu em dois tempos. De quebra, aos 44min, Boateng colocou a mão na bola dentro da área - pênalti, que Salpingidis bateu e converteu.

Ficha técnica

ALEMANHA 4 X 2 GRÉCIA

Gols

ALEMANHA: Lahm, aos 39min do primeiro tempo; Khedira, aos 16min do segundo tempo; Klose, aos 23min do segundo tempo; Reus, aos 29min do segundo tempo

GRÉCIA: Samaras, aos 10min do segundo tempo; Salpingidis, aos 44min do segundo tempo

ALEMANHA: Neuer; Boateng, Hummels, Badstuber e Lahm; Khedira e Schweinsteiger; Özil (Gomez), Schurlle (Müller) e Reus (Gotze); Klose

Treinador: Joachim Löw

GRÉCIA: Sifakis; Torossidis, Papadopoulos, Papasthatopoulos e Tzavellas (Fotakis); Katsouranis, Maniatis, Makos (Liberopoulos), Ninis (Gekas) e Samaras; Salpingidis

Treinador: Fernando Santos

Cartões amarelos

GRÉCIA: Samaras e Papasthatopoulos

Árbitro

Damir Skomina (Eslovênia)

Local

Arena Gdansk, em Gdansk (Polônia)

Fonte: Terra