UFC 149 tem Brasil em luta por título e decide luta de Anderson

UFC 149 tem Brasil em luta por título e decide luta de Anderson

Depois de muitas mudanças no card devido a lesões, o evento terá Renan Barão contra Urijah Faber por título e a estreia de Hector Lombard

O UFC 149, neste sábado, terá apenas um brasileiro no octógono, mas além de poder render um cinturão inédito para o país, na categoria galo, terá reflexos em outros lutadores verde-amarelos, como Anderson Silva, maior estrela do MMA na atualidade. Depois de muitas mudanças no card devido a lesões, a noitada em Calgary (CAN) terá Renan Barão enfrentando Urijah Faber por título e a estreia do cubano Hector Lombard, já cotado como próximo desafiante do Spider.

Com a recente onda de lesões ocorridas com lutadores do UFC, a edição 149 foi a que mais sofreu com as mudanças de combates e atletas. Barão e Faber, por exemplo, se enfrentariam no UFC 148, mas, como José Aldo sofreu um problema muscular na preparação para enfrentar Erik Koch, a disputa pelo cinturão interino dos galos foi transferida para o Canadá para substituir aquele duelo.

Maurício Shogun também estaria no card, mas uma lesão de Thiago Silva fez com que ele fosse colocado em um evento em agosto, contra Brandon Vera. Rodrigo Minotauro, George Roop, Siyar Bahadurzada e Claude Patrick foram outros nomes anunciados para a edição, mas que também tiveram de ser trocados.

"Maldição" à parte, os dois combates principais da noite em Calgary prometem não apenas bons duelos, mas serão importantes para o desenrolar de suas categorias. Principalmente entre os galos, que terão um campeão interino e a chance de o Brasil empatar com os Estados Unidos, com quatro cinturões para cada país, caso Barão vença.

A princípio, Urijah Faber duelaria com o campeão da categoria galo, Dominick Cruz. Seria o terceiro combate entre eles, para desempatar a rivalidade, mas Cruz rompeu os ligamentos do joelho. Devido ao grande tempo de recuperação, Renan Barão foi escolhido para enfrentar Faber, em um duelo valendo o título interino do peso. Quem vencer no futuro enfrentará Cruz para definir quem é o campeão "indiscutível" dentro do UFC.

"Fiquei muito feliz, foi o Dedé (Pederneiras, técnico) que me ligou avisando sobre a luta e é a realização de um sonho disputar o cinturão do UFC. Foi também bacana da parte do Faber pedir para lutar comigo. Ele poderia ter fugido, mas me deu moral e agora vou cair pra dentro, tentar nocautear ou finalizar para trazer este cinturão para a Nova União", afirmou o potiguar de 25 anos, que é amigo e companheiro de treinos de José Aldo, campeão dos penas do UFC.

A saga de Renan Barão até este combate é surpreendente. Ele tem a maior série invicta hoje no Ultimate, com 29 combates sem perder - foram três vitórias dentro da organização. O único revés da carreira foi em sua estreia, e desde então foram 28 triunfos e um no contest (luta sem resultado devido a um golpe ilegal aplicado por ele).

Já Faber é o único lutador a ter batido o campeão Cruz, mas perdeu para o compatriota no segundo duelo entre eles, realizado dentro do UFC, em 2011. "Será uma guerra. Nenhum lutador tem uma série de vitórias dessa se não for muito bom mentalmente. Neste sábado,eu e Barão vamos bater à beça um no outro para saber quem é o melhor", disse Faber, que já perdeu para José Aldo, nos tempos de WEC.

ANDERSON SILVA DE OLHO EM CUBANO NO UFC 149

A segunda luta em importância da noite também terá atenção redobrada. Será o cartão de visitas do cubano Hector Lombard, ex-campeão dos médios do Bellator, que chega ao UFC com um retrospecto de respeito: são 25 combates sem perder. Ele encara o norte-americano Tim Boetsch, que vem embalado por três triunfos consecutivos.

Se esta primeira apresentação de Lombard no Ultimate for com vitória - e especialmente com um nocaute ou finalização -, Lombard pode ser anunciado logo após o combate como novo desafiante ao cinturão dos médios, para encarar o brasileiro Anderson Silva. Dana White, que promete anunciar o rival do brasileiro logo após o evento, já teceu grandes elogios ao cubano, que é favorito para enfrentar o Spider, apesar de manter um discurso político sobre seu futuro.

"Ainda não estou pensando nisso. Tenho de mostrar a que vim e, pouco a pouco, ir conquistando o meu espaço. Eu respeito Anderson Silva, ele é o melhor do mundo, é como se fosse o Pelé do MMA. Se eu tiver a oportunidade de enfrentá-lo, será a realização de um sonho, mas vejo um longo caminho a percorrer", afirmou Lombard.

Quem também está na jogada é Chris Weidman, dos EUA. Ele venceu Mark Muñoz há pouco mais de uma semana e, apesar de ter carreira curta, com apenas nove lutas de MMA, nunca perdeu e já aparece entre os tops dos médios. Michael Bisping e Vitor Belfort também observam o futuro da categoria médio para tentar uma luta contra Anderson, mas devem precisar de novos triunfos para chegarem perto do campeão.

Luke Rockhold, campeão do Strikeforce, e Rashad Evans, ex-detentor do cinturão dos meio-pesados do UFC, também já lançaram desafios ao Spider.

Fonte: UOL