Animado com Ronaldinho, Atlético põe Robinho na mira do clube

Animado com Ronaldinho, Atlético-MG quer "alavancar" outras carreiras e põe Robinho na mira

Satisfeita com os cinco meses de bom futebol apresentado por Ronaldinho Gaúcho, a diretoria do Atlético-MG quer usar a experiência alcançada com o meia-atacante para recuperar a carreira de outros jogadores. Além disso, o alvinegro mineiro aposta na renovação contratual do camisa 49 como trunfo para aproximar grandes reforços do clube.

O atacante Robinho, hoje no Milan, é um jogador que a diretoria atleticana deseja para reforçar o time em 2013 e que se encaixa nessa situação. Longe da seleção brasileira e disposto a retomar o caminho das convocações, o jogador vive momento de baixa na Itália e não esconde desejo de voltar ao Brasil.


Animado com Ronaldinho, Atlético-MG põe Robinho na mira do clube

Apurar que o presidente Alexandre Kalil já conversou com o jogador revelado pelo Santos, mostrando a ele o interesse atleticano de contratá-lo para a temporada 2013. A renovação de contrato de Ronaldinho Gaúcho é considerada pelos dirigentes atleticanos como estratégica para convencer Robinho, que é amigo de R49. Porém, o clube mineiro enfrentará concorrentes no Brasil, como Santos, com o jogador diz ter vínculo afetivo, e o Corinthians, que têm interesse no atleta.

O diretor de futebol do Atlético, Eduardo Maluf acredita que o clube se tornou um modelo para recuperação de atletas. ?Sem dúvida alguma podemos aproveitar isso, deu certo com o Ronaldinho. Hoje, todo mundo quer jogar no Atlético, até pela estrutura que temos, com grandes profissionais?, disse.

O dirigente não esconde que a volta por cima na carreira de Ronaldinho e as boas atuações no Campeonato Brasileiro fizeram o Atlético mudar de patamar mundial. ?O Atlético é referencia mundial, clube que está no mundo inteiro, às atuações do Ronaldo são comentados nos grandes centros do futebol mundial e isso valorizou ainda mais?, afirmou.

Com as boas atuações, Ronaldinho voltou a ser destaque mundial e abriu portas para o Atlético no campo internacional, na avaliação da diretoria alvinegra. ?Sem dúvida, eleva a um patamar diferente, é repercussão na mídia mundial, hoje, todo mundo quer jogar no Atlético e ao lado do Ronaldinho. O Atlético terá outro patamar depois da passagem dele?, acrescentou Eduardo Maluf.

Ainda sem ter a confirmação da renovação de contrato de Ronaldinho com o Atlético, que termina no final do ano, a diretoria atleticana trabalha firme para conseguir manter o jogador em Belo Horizonte e usar o prestígio do camisa 49 para garimpar nomes de peso e destaque no futebol mundial para o alvinegro mineiro na temporada de 2013.

Apuramos que o presidente Alexandre Kalil está disposto a pagar cerca de R$ 900 mil mensais a Ronaldinho Gaúcho, que assinou contrato por seis meses, em junho último, recebendo R$ 300 mil ao mês. Caso fique no Atlético-MG, o meia-atacante passará a usar o número 10 para alavancar a venda de camisas.

Para tentar viabilizar o acordo com o irmão e empresário do jogador, Roberto Assis, o Atlético-MG estuda também envolver no acordo de renovação, valores a serem recebidos por Ronaldinho por metas alcançadas por ele e pelo time dentro de campo, nas competições que irá disputar ao longo de 2013. Dessa forma, o atleta ?engordaria? seus vencimentos.

Sem criar expectativa

O diretor de futebol Eduardo Maluf evita comentar sobre contratações e não fala em reforços de peso, do nível de Ronaldinho Gaúcho para 2013, mas reconhece a intenção da diretoria em montar um elenco maior e mais forte. ?O Atlético é referência, a gente não pode criar uma expectativa ao torcedor. Não tenho dúvida que vamos fazer três, quatro contratações para a Libertadores e a Copa do Brasil?, explicou.

?Mas a torcida pode ter certeza que vamos buscar contratações de qualidade, que venham para reforçar o grupo, que já é bom. Não vamos ter muito trabalho?, observou. Segundo ele, a meta é formar um elenco com 32, 33 nomes de qualidade para disputar bem todas as competições de 2013. ?Mas não quero criar expectativa no torcedor e nem falar em nomes?, ressalvou Eduardo Maluf.

Fonte: UOL