Após 10° ouro, Hoyama diz que torce por Thiago Pereira

Com idade de certa forma avançada, Hoyama comentou sobre a hora de aposentar a raquete

Após sair vencedor do quarto jogo da decisão do tênis de mesa por equipes, no Ginásio Code, em Guadalajara, tendo garantido a medalha de ouro para o Brasil, Hugo Hoyama falou da emoção que foi vencer a partida, decidida ponto a ponto no quarto set, que terminou com vitória brasileira por 15/13.

"Não consigo lembrar como foram os últimos pontos. Foi muito dramático, mas a minha experiência contou muito no final. O argentino sentiu no quarto set, e eu tirei proveito", afirmou o experiente mesatenista, 42 anos.

Hugo Hoyama foi escalado para o quarto jogo de simples e não desperdiçou sua chance de ser protagonista e conquistar seu décimo ouro em edições dos Jogos Pan-Americanos. Ele bateu Pablo Tabachnik por 3 a 1, com parciais de 16/14, 8/11, 12/10 e 15/13.

Com idade de certa forma avançada, Hoyama comentou sobre a hora de aposentar a raquete. "Eu sentindo que estou melhor do que os novatos, continuo jogando. Agora, se eu ver que tem alguém melhor do que eu no tênis de mesa brasileiro, saio de cena e vou ficar torcendo. Estou sempre apoiando quem estiver na mesa", declarou o brasileiro de origens nipônicas, que também falou de sua relação com a família.

"Mesmo com minha avó tendo nascido no Japão e eu ter os olhos puxados, eu sou brasileiro. Minha avó também é brasileira, mesmo não falando direito o português. Eu fico muito emocionado ao falar dela, porque ela tem 88 anos e continua muito lúcida. Sempre antes de vir para um torneio, faço questão de passar e dar um beijo nela, e ela me deseja boa sorte", disse.

"Competindo" com Thiago Pereira pelo posto de maior medalhista da história do país, Hoyama confirmou estar torcendo pelo compatriota. "Não cheguei a falar com o Thiago ainda, somente na Vila, e disse que estou torcendo para ele (quebrar o recorde de medalhas). Quando todo mundo me pergunta, sempre digo isso: estou torcendo para ele. Acho que temos que torcer para os esportistas brasileiros se darem bem", declarou.

Tendo conseguido o bicampeonato no tênis de mesa por equipes, o brasileiro tomou uma atitude contrária à do Pan do Rio. "Dessa vez não esperei eles (Gustavo Tsuboi e Thiago Monteiro) virem (na direção de Hoyama). Eu que saí correndo para cumprimentá-los. Estou muito feliz de estar junto dos dois e repetir essa conquista", comemorou.



Fonte: Terra