Após 23 anos, Brasil volta a ficar fora das semifinais, Libertadores

Após 23 anos, Brasil volta a ficar fora das semifinais, Libertadores

Desde 1991, quando nenhum time do país ficou entre os quatro melhores do torneio, equipes brasileiras chegam às semis.

A eliminação do Cruzeiro para o San Lorenzo foi o item que faltava para consolidar a Libertadores de 2014 como a pior para os brasileiros na história recente da competição. Após o fiasco na primeira fase, quando o Brasil teve as inéditas três eliminações, agora o país não terá um representante nas semifinais depois de 23 anos. A última vez que o futebol brasileiro ficou sem times entre os quatro melhores da América foi em 1991.

Naquele ano, o Flamengo chegou às quartas de final como o único clube do país e foi eliminado pelo Boca Juniors. O Colo Colo seria o campeão. A partir de 1992, os brasileiros estiveram em todas as finais e somente em três edições não foram finalistas ? 1996, 2001 e 2004. Com a queda da Raposa, o Brasil também perde a chance de ter o quinto título consecutivo na Libertadores, algo inédito na história da competição.

Nos últimos quatro anos, Internacional (2010), Santos (2011), Corinthians (2012) e Atlético-MG (2013) foram campeões. Caso o Cruzeiro conquistasse o tri, seria o recorde de taças consecutivas de um país no torneio ? a Argentina tem dois "tetracampeonatos", com Racing (1967) e Estudiantes (1968/69/70) e Independiente (1972/73/74/75). A desclassificação dos mineiros também quebrou a sequência de brasileiros na final, que durava desde 2004.

Os argentinos também mantiveram o bom retrospecto diante de brasileiros. O jogo desta quarta foi o de número 170 entre os dois países pela Libertadores. Os Hermanos têm 71 vitórias, contra 67 dos brasileiros. Houve ainda 32 empates. No retrospecto envolvendo os confrontos entre os dois países em mata-matas, a Argentina também leva vantagem: 27 eliminações contra 20 dos brasileiros.

O San Lorenzo terá a chance de aumentar o número de títulos da Argentina, que é de 22. O Brasil vem em seguida no número de conquistas, com 18. Em seguida vêm Uruguai, com oito, Paraguai, com três, Colômbia, com duas, Equador e Chile com uma.

Fonte: Globo Esporte