Flamengo bate Botafogo por 1 a 0, mantém tabu de 10 anos e fica perto do G-4

Flamengo bate Botafogo por 1 a 0, mantém tabu de 10 anos e fica perto do G-4

Gol de Paulo Sergio ajuda clube a recuperar moral após prisão de Bruno.

?O Flamengo precisa de boas notícias?. A frase da presidente Patrícia Amorim teve repercussão nos jogadores na noite desta quarta-feira. Em jogo de muita aplicação e uma pitada de talento de Petkovic, o Rubro-Negro superou o favoritismo do Botafogo e venceu por 1 a 0, no Maracanã. O gol da vitória foi de Paulo Sergio, no segundo tempo, após excelente passe do sérvio.

A vitória devolve um pouco da alegria perdida na Gávea após a prisão do goleiro Bruno. Nos dias que antecederam o jogo, tanto Patrícia quanto o diretor-executivo Zico ressaltaram a necessidade de vitória para desviar o noticiário das páginas policiais. Foram atendidos.

- Temos que começar a escrever uma nova história. É um novo Flamengo - disse o novo capitão, Léo Moura.

Do outro lado, o excesso de tranquilidade durante a Copa do Mundo acabou sendo prejudicial para o Alvinegro. Durante quase todos os 90 minutos, o time enrolou-se no ataque e desperdiçou as poucas chances que criou. A vitória coloca o Flamengo com 12 pontos, na rota do G-4. O Botafogo segue parado nos nove e segue seu longo jejum sem bater o rival em Brasileiros. A última vez foi em 2000, por 3 a 1, gols de Donizete, Sandro e Dênis. Pet descontou

A volta ao Maracanã, no contexto geral, poderia ser melhor. Noite chuvosa, pouco público, gramado aparentemente ruim ? mesmo após longo período sem jogos ? e por todos os lados a lembrança da prisão de Bruno. Os alvinegros, obviamente, aproveitaram para criar músicas irônicas e tripudiar da situação. Os rubro-negros só se manifestaram para incentivar o substituto dele, Marcelo Lomba, que fez boa partida.

Antes dos dez minutos, Welinton, afobado, fez duas faltas na entrada da área. Na primeira, Lucio Flavio acertou a barreira. Na segunda, Marcelo Lomba saltou no canto esquerdo e espalmou.

O time desmantelado e o ataque jovem pesaram para as dificuldades do Flamengo nos minutos iniciais. Mas aos poucos o nervosismo passou. Diego Maurício caprichou no visual, colocou tranças dread e conseguiu acertar a primeira jogada aos 19. Ele tabelou com Vinícius Pacheco dentro da área, mas o companheiro precipitou o chute e mandou para fora.

A dupla fez outra boa jogada aos 22 e Vinícius, desta vez como pé esquerdo, chutou forte. Jefferson espalmou para escanteio. O Botafogo recorreu aos contra-ataques. Marcelo Cordeiro fez ótimo lançamento aos 27, Juan cochilou e Alessandro entrou livre na área. O lateral do Flamengo se recuperou e conseguiu atrapalhar o chute.

Por causa de toda a situação que precedeu a partida, o Rubro-Negro, surpreendentemente, dominou boa parte do primeiro tempo. Aos 34, Kleberson cruzou rasteiro e Petkovic chutou rente ao ângulo esquerdo.

Na última chance antes do primeiro tempo, o Botafogo armou um bom ataque. O Alvinegro aproveitou uma falta dentro da sua própria área e cobrou com rapidez. Caio, aparentemente um pouco à frente da linha da bola, recebeu livre e não abriu o placar por pouco. O chute saiu rasteiro, à direita de Marcelo Lomba.

Paulo Sérgio decide o clássico

O Botafogo voltou com Edno no lugar de Sandro Silva, que errou tudo o que tentou no primeiro tempo. Mas a primeira boa chance foi do Flamengo. Diego Maurício fez jogada individual e chutou forte. Jefferson espalmou. A resposta do Botafogo veio com Herrera. Ele chutou forte da entrada da área, e Lomba fez como manda o manual do goleiro: espalmou para o lado.

Aos 20 minutos, Jobson entrou na vaga de Caio. Foi a volta do atacante ao futebol após seis meses de suspensão por consumo de crack. Na primeira jogada, ele jogou a bola entre as pernas de Welinton. A torcida delirou (assista ao lado).

Mas o grito mais forte saiu do lado rubro-negro. Petkovic fez ótimo passe para Vinícius Pacheco, o apoiador cruzou rasteiro e Paulo Sergio, meio sem jeito, empurrou para o gol. Na comemoração, o atacante tirou a camisa e mandou corações para a torcida rubro-negra.

O Botafogo, com dificuldades na armação de jogadas, tentou pressionar, mas foi barrado pelo sólido sistema defensivo rubro-negro. No único lance de perigo, aos 47, Herrera chutou forte de dentro da área, mas isolou.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com