Após "pior clima da vida", calor vira preocupação italiana no BR

Após "pior clima da vida", calor vira preocupação italiana no BR

“Após 60 minutos parecia que tínhamos jogado 200, foi a partida mais difícil da minha vida”

?Após 60 minutos parecia que tínhamos jogado 200, foi a partida mais difícil da minha vida?. A declaração do volante Daniele De Rossi após a vitória por 4 a 3 sobre o Japão, na Arena Pernambuco, encontra ecos nos outros membros da delegação italiana. Neste sábado, o calor de Salvador será uma preocupação a mais na hora de enfrentar o Brasil, na partida marcada para as 16h na Arena Fonte Nova.

?A umidade maluca? da região do Recife, conforme definiu o zagueiro Andrea Barzagli, foi um dos fatores apontados pela seleção italiana para a exibição ruim diante do Japão. Os outros foram o cansaço acumulado pelo fim da temporada europeia e pelas partidas seguidas na Copa das Confederações.

?Além do que faltou em termos futebolísticos ? e faltou muito ? o aspecto do clima foi determinante?, explicou nesta sexta-feira o meia Riccardo Montolivo, em referência à partida da última quarta.

?O aspecto dos dias de repouso faz diferença no futebol de hoje, porque creio que a qualidade técnica e tática só fazem diferença se você tem qualidade de intensidade e de corrida. Caso contrário, você terá problemas mesmo se tem mais qualidade e experiência?, completou.

Em entrevista também nesta sexta-feira, antes do treino de reconhecimento do gramado da Arena Fonte Nova, o técnico Cesare Prandelli mostrou concordar com os jogadores. ?(Contra o Japão) vimos pela primeira vez que não havia nenhuma possibilidade de recuperar o cansaço, mas não estamos buscando desculpas?, destacou.

O treinador classificou a Copa das Confederações como ?um evento extraordinariamente belo? que dá a oportunidade de ?usufruir de todas as possibilidades de adaptação? ao país que organizará o próximo Mundial.

Ao mesmo tempo, ele destacou uma ?disparidade? no período que antecede o torneio dos campeões continentais, propondo que ?todos deveríamos usufruir do mesmo tempo? para preparação: ?muitos nos preparávamos para as Eliminatórias da Copa do Mundo, e há gente com mais dias na comparação com os outros?.

Neste sábado, Prandelli encarará um rival que se reuniu no fim de maio, no Rio de Janeiro, e desde então tem o foco voltado para a Copa das Confederações. O técnico tentará consertar essa ?disparidade? revezando seus titulares. ?Vou procurar jogadores ?frescos?, porque a diferença na competição não se faz em termos técnicos, mas sim nos físicos?.

É provável que ele mude o esquema tático do 4-3-2-1 para o 4-3-3, poupando o zagueiro Andrea Barzagli e o meia Emanuele Giaccherini. Os meio-campistas Andrea Pirlo, com uma contratura muscular, e De Rossi, suspenso, também não jogam. Desse modo, a Itália deve ter a seguinte escalação: Buffon; Abate, Bonucci, Chiellini e De Sciglio; Aquilani, Montolivo e Marchisio; Diamanti, Balotelli e Candreva.

Fonte: Terra, www.terra.com.br